Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) divulga integrantes do Conselho Diretor

Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) divulga integrantes do Conselho Diretor

2 minutos de leitura

Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) será responsável por diversas competências relacionadas à LGPD, entre elas, a aplicação de multas.



Por Redação em 16/10/2020

Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) será responsável por diversas competências relacionadas à LGPD, entre elas, a aplicação de multas.

A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) finalmente começou a tomar forma. Em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), publicada nesta quinta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro indicou os cinco nomes que possivelmente integrarão o Conselho Diretor. Apesar da nomeação, é preciso ainda a aprovação do Senado.

Os nomes indicados para integrar o Conselho Diretor são:

  • Waldemar Gonçalves Ortunho Júnior, atual presidente da Telebras. Ele também será o presidente da ANPD (mandato de 6 anos).
  • Miriam Wimmer, diretora de Serviços de Telecomunicações do Ministério das Comunicações (mandato de 2 anos).
  • Joacil Basilio Rael, membro do Gabinete de Segurança Institucional – GSI (mandato de 4 anos).
  • Arthur Pereira Sabbat, membro do Gabinete de Segurança Institucional – GSI (mandato 5 anos).
  • Nairane Farias Rabelo Leitão, sócia da Serur Advogados (mandato de 4 anos).

Os mandatos dos primeiros membros da ANPD serão de dois a seis anos. A segunda turma terá um período menor, de quatro anos.

Em setembro deste ano, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi sancionada, entrando em vigor no dia 18 daquele mês. Porém, a ANPD não tinha nenhuma diretoria escolhida, apenas a estrutura do órgão definida a partir de um decreto.

Com os nomes indicados, a estruturação do órgão está cada vez mais perto de ser efetivada. Cabe à ANPD a aplicação de multas e sanções previstas pela LGPD. A Lei 14.010/2020 adiou essas ações para 1º de agosto de 2021.

Qual o papel da ANPD?

Embora pareça que a ANPD aplicará apenas multas e sanções dentro da LGPD, o órgão será responsável por 24 competências. Entre elas, estão:

– Zelar pela proteção dos dados pessoais.

– Auxiliar na interpretação da lei para os setores público e privado.

– Elaborar diretrizes para a Política Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade.

– Realizar ou determinar auditorias em empresas públicas e privadas sobre o tratamento de dados pessoais efetuado pelos agentes de tratamento.

Além do Conselho Diretor, a estrutura do órgão será composta também por corregedoria, ouvidoria, assessoramento jurídico, unidades administrativas e o Conselho Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade, órgão consultivo que será formado por 23 representantes dos três poderes, entidades da sociedade civil, do setor empresarial, confederações sindicais e instituições científicas, tecnológicas e de inovação. Todos esses nomes devem ser indicados pelo presidente da República.

Ainda que multas e sanções estejam previstas apenas para 2021, é importante lembrar que empresas privadas podem ter de pagar, por infração, até 2% do faturamento anual, com teto máximo de R$ 50 milhões.

Já entidades públicas estão livres de multas pecuniárias, mas, ainda assim, podem ser penalizadas com a suspensão do banco de dados, exclusão das informações ou até mesmo condenação por parte do Ministério Público e Procons.

Sua empresa já começou a jornada de adequação para a LGPD? Clique no banner abaixo e faça o download gratuito de dois infográficos mostrando o que é preciso para estar em conformidade com a lei.


Não deixe de conferir outros assuntos sobre LGPD no Mundo + Tech:

Principais destaques desta matéria

  • Conselho Diretor da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) é divulgado.
  • Órgão é responsável em aplicar multas e sanções relacionadas à LGPD.
  • Assim como em elaborar diretrizes relacionadas à lei e também realizar ou determinar autorias em empresas públicas e privadas.


Matérias relacionadas

Inovação

Seul, na Coreia, testa plataforma no metaverso

A Praça da Cidade de Seul virtual e locais de eventos integram um programa piloto que pretende levar várias atividades para o metaverso

Inovação

Entenda como o 5G vai impulsionar o DeFi

A quinta geração de telefonia vai viabilizar diversas tecnologias, como a IoT, cujos dispositivos contribuem para a segurança e a descentralização da blockchain

Inovação

Metaverso é a nova dimensão do varejo

Para além do e-commerce tradicional, algumas redes varejistas estão propondo aos seus clientes experiências imersivas em um ambiente de realidade estendida

Inovação

6G somente em 2030

Sexta geração de telefonia trará ainda mais velocidade e estabilidade; porém, a previsão é de que esteja disponível apenas em 2030