Como construir uma relação de confiança entre líderes de negócio e de TI?

Como construir uma relação de confiança entre líderes de negócio e de TI?

6 minutos de leitura

Jornada de inovação exige um alinhamento estratégico entre líderes de negócio e de TI. Confira 5 dicas para criar uma confiança entre eles.



Por Redação em 15/03/2021

Jornada de inovação exige um alinhamento estratégico entre líderes de negócio e de TI. Confira 5 dicas para criar uma confiança entre eles.

Anos atrás, quando transformação digital era um tópico novo nas empresas, o CIO (ou líder da área de tecnologia, já que o cargo ainda é recente) era sempre a pessoa executiva fora das rodadas de conversa.

A liderança de TI servia apenas para receber as solicitações da área de negócios e colocá-las em prática. Contudo, não é mais novidade que a jornada de inovação precisa de uma sinergia entre esses dois setores de uma organização.

Mas será que essa sinergia acontece?

Sim, mas algumas organizações ainda encaram a frustração por não conseguir criar uma comunicação transparente entre essas duas divisões, de acordo com Krishna Tammana, CTO da Talend, em entrevista ao site CIO.com.

O executivo cita que a ruptura da confiança entre líderes de negócios e de TI ocorre quando uma empresa passa por uma situação de pressão – como a adoção ágil de soluções em nuvem para uma companhia garantir a continuidade das operações devido ao novo coronavírus, por exemplo.

Ou quando as demandas de TI são bem maiores que o orçamento previsto da área – configurar os notebooks dos colaboradores para que eles consigam acessar os servidores da empresa por meio da VPN, enquanto ainda é preciso documentar todos esses processos.

São algumas situações em que, ao existir um relacionamento sólido e confiável entre essas duas áreas, a tomada de decisão traz benefícios para ambos.

Nos dois exemplos citados acima, o time de negócios poderia sugerir a terceirização de dispositivos para a área de TI monitorar proativamente as tentativas de invasão enquanto configura e atualiza as soluções de nuvem utilizadas pela empresa.

5 dicas de como líderes de negócio e de TI podem construir confiança

Na opinião de Krishna, a transparência entre essas áreas é o que cria uma confiança sólida. “Quando os líderes de negócios enxergam que a TI está tentando ajudá-los e está disposta a reconhecer seus próprios pontos fortes e fracos, o relacionamento é confiável”, diz.

Porém, apesar das empresas entenderem a importância da integração entre essas divisões, ainda há situações de desconfiança entre negócios e TI. Por isso, o site CIO.com conversou com algumas pessoas em cargo de liderança para compartilhar dicas de como criar uma relação saudável.

1. Diga, até para você mesmo, como é desenvolver um projeto

Você provavelmente já passou por essa situação: a área de negócios trouxe uma demanda do cliente e, apesar de você não ter todas as informações do projeto, sentiu a pressão de informar um prazo.

Com o prazo estabelecido, você informa ao seu time, que diz não conseguir entregar a demanda. O resultado? Colaboradores precisando fazer hora extra e um relacionamento estremecido entre eles e a liderança, tanto de TI quanto a de negócios.

“Às vezes nos comprometemos demais e entregamos menos. Se começar a fazer isso de forma consistente, você quebra a confiança”, diz John Roman Jr, CIO da The Bonadio Group, que contou ao CIO.com que ele mesmo já foi esse tipo de líder.

Já na opinião de Don Logan, CIO da Friedman LLP, apesar de muitas pessoas terem uma bagagem vasta de experiência, o ego pode atrapalhar a construção de uma confiança entre esses dois times. “A pessoa se acha invencível, que sabe tudo, mas não sabe o que ela não sabe”, comenta.

Para ele, é preciso entender que tudo bem pedir ajuda ao próprio time ou ao time de negócios quando não há informações completas sobre um projeto. Não fazer isso “prejudica você e, em último caso, a empresa para a qual você trabalha e as pessoas com quem trabalha”.

2. Coloque o time de negócios em evidência também

Existe uma situação bem comum em todas as empresas: o time de TI tem conhecimento profundo sobre tecnologia e como colocá-la em prática na organização. Já o time de negócios vai atrás dos resultados que essa tecnologia vai prover.

Como cita Richard Hunter, vice-presidente da Gartner, “para um líder de negócio, uma iniciativa apoiada por TI é apenas um item de uma lista de materiais para chegar a um resultado. E é somente com o resultado que o líder se preocupa e não com a lista de materiais.”

A visão de Hunter é de que os líderes de TI podem aproximar a área de negócios ao criar uma interpretação dos projetos de tecnologia. Assim, todos conseguem entender quais os resultados são os mais desejados e o desempenho deles em cada etapa.

Hunter cita que é interessante saber as métricas mais importantes para uma pessoa líder de negócio. “Qual é o status dessas métricas agora? Qual é a linha de tendência delas? E o que posso fazer para que esses números apareçam na direção certa?”, questiona.

3. Envolta todo o time de TI

Construir confiança entre os líderes de negócio e de TI é importante, mas não é suficiente. Nesse momento, é preciso se certificar de que todas as pessoas de TI também trabalham para aumentar a confiança entre essas duas áreas.

“Não acho que você possa simplesmente olhar para os executivos e dizer ‘resolvemos o problema’”, diz Tammana, CTO da Talend. Para ele, não é suficiente parar no C-Level se os colaboradores de TI estão entendendo a tecnologia para ser aplicada nos negócios.

Tammana destaca que os profissionais de TI precisam ser integrados ao negócio da empresa. “Portanto, acho que há mais trabalho a ser feito para que as camadas abaixo do CIO entendam e lidem com o negócio.”

O CTO da Talend afirma ser importante essa integração, uma vez que são os colaboradores que fazem a maior parte do trabalho. Ou seja, tomam decisões de como estruturar o projeto e como extrair o valor dele, enquanto os líderes de TI e de negócio se sentam para falar de resultados.

“Todo mundo toma decisões, não é apenas o CIO”, diz Tammana. Isso significa que, se a área de negócio explica o problema que tenta resolver e a área de TI entende as necessidades e prioridades do negócio, há a chance de explorar outras soluções possivelmente melhores.

Para o executivo, um processo que pode ser feito para melhorar a relação é ter o hábito de fazer perguntas. “Isso força o time de negócios a fornecer essas informações e o time de TI a perguntar qual o motivo da solicitação e qual o problema que será resolvido.”

4. Não reclame sobre a área de negócios para sua equipe

O pior erro profissional que Sam Hilgendorf, CIO da Fox World Travel, cometeu foi reclamar do líder de negócios na frente de seus colaboradores. Para ele, custe o que custar, as pessoas não devem menosprezar ou mostrar desconfiança de outros executivos para sua equipe.

“Quando me peguei reclamando na frente de meus subordinados diretos sobre outro departamento, basicamente eu estava dando permissão a eles para não resolverem o problema. Eles poderiam dizer: ‘Falei com meu chefe, meu chefe está me apoiando, então estou certo.’”

Hoje, sempre que uma reclamação surge, Hilgendorf leva alguns questionamentos ao time: “O que você acha que eles não entendem? Você perguntou? Ou são apenas suposições?’”.

Esses questionamentos ajudam o time de TI a ter todos os tipos de conversas com o pessoal de negócio. Dentro da Fox, isso se refletiu de maneira bastante positiva, ainda mais quando a pandemia atingiu as operações da companhia.

A empresa viu suas receitas despencarem 90% em março de 2020. Mesmo assim, garante o executivo, foi possível notar o crescimento da confiança entre a área de tecnologia e as unidades de negócios da empresa.

Para ele, a crise pode ter dois efeitos diferente. “Isso pode levar ao medo e à agressão quando as pessoas tentam superar umas às outras, ou pode levar a um vínculo mais forte de que estamos juntos e precisamos confiar um no outro ainda mais do que antes.”

5. Continue questionando

“Os CIOs têm a oportunidade única de construir grandes parcerias simplesmente trazendo uma curiosidade sincera em qualquer conversa com seus colegas”, diz Hilgendorf. Nessas horas, incorporar Bobby, personagem bastante curioso do desenho animado do início da década de 1990 “O Fantástico Mundo de Bobby”, é uma opção.

Ter curiosidade sobre as necessidades de negócio ajuda a construir a confiança e resolver problemas. Para o CIO da Fox World Travel, é o momento de toda a área de TI ficar perguntando “por quê?” aos colaboradores da outra divisão.

Inicialmente, “você ouvirá muito ‘sempre foi assim’ ou ‘é isso que sabemos’”, diz Hilgendorf. Quando isso acontece, o executivo tenta rebater com “isso poderia ser uma alternativa?”. O CIO também sugere lançar uma ideia aleatória aos times, porque todos vão criar motivos e razões para entender por que ela não irá sair do papel.

Hilgendorf destaca ainda ser preciso acabar com os estereótipos que o time de negócios tem em relação ao de TI e vice-versa. “Existem apenas essas suposições de que ninguém da área de negócios entende de tecnologia e de que a TI não tem ideia de como a empresa realmente funciona.”

Portanto, o executivo sugere cruzar esse abismo, em que cada um pode reconhecer o que os profissionais de TI e de negócios têm de melhor. “Se você chegar a esse ponto, é um lugar para construir confiança”, finaliza.

Principais destaques desta matéria

  • Líderes de negócio e de TI precisam confiar uns nos outros para uma tomada de decisão mais inteligente.
  • Porém, a relação de confiança pode não ser a mais transparente dentro de uma empresa, impactando a jornada de inovação.
  • Leia sobre como 5 dicas vão ajudar a essas duas divisões criarem um relacionamento mais transparente.


Matérias relacionadas

varejo tecnologia Estratégia

Varejo usa tecnologia para entregar boa experiência de consumo 

Com participação do Boticário, 5º episódio da minissérie Empresas Líquidas mostra como os dados e a tecnologia empoderam o cliente no varejo

nuvem seguranca Estratégia

Nuvem e Inteligência Artificial trazem avanços na segurança da informação

Relatório da Brasscom mostra que ajustes nas práticas de segurança cibernética em ambientes de nuvem são um dos principais desafios dos gestores de TI

seguranca Estratégia

Segurança até no cafezinho

"É preciso, quando falamos de cibersegurança, encontrar a naturalidade ao tratar de temas complexos e simples"

bcg Estratégia

Adoção de tecnologia pode aumentar receita em até 25%, aponta BCG

Estudo recomenda que as empresas identifiquem as soluções que possam gerar mais valor para toda a organização