Como uma empresa de construção usou IoT para minimizar gastos na limpeza de um incêndio?

Como uma empresa de construção usou IoT para minimizar gastos na limpeza de um incêndio?

3 minutos de leitura

Companhia tinha o desafio de transportar 3,6 milhões de toneladas de entulho e, ao usar IoT, reduziu cronograma em 10 meses e aumentou receita em 10%.



Por Redação em 18/09/2020

Companhia tinha o desafio de transportar 3,6 milhões de toneladas de entulho e, ao usar IoT, reduziu cronograma em 10 meses e aumentou receita em 10%. 

Em 2018, um incêndio de grandes proporções causado por uma linha de transmissão com defeito atingiu um condado no estado da Califórnia (Estados Unidos), destruindo 19 mil edifícios e causando um dano de US$ 16,5 bilhões. 

Por sinal, já falamos deste incidente aqui no Mundo + Tech, contando como a companhia responsável no fornecimento de energia no estado da Califórnia passou a utilizar Inteligência Artificial para identificar áreas com risco de incêndio. Leia mais aqui

Após a situação ter sido controlada, foi preciso limpar a área de todos os entulhos gerados pelo incidente. Nesse esforço, uma empresa de construção apostou em uma solução de Internet das Coisas (IoT) para economizar o tempo de limpeza e os recursos disponíveis para o projeto.  

Antes desse esforço, a Goodfellow Bros., com mais de 100 anos de mercado, formou uma joint venture com outras duas empresas do ramo para participar do processo de licitação de limpeza dos entulhos.  

O projeto consistia no transporte mais de 3,6 milhões de toneladas de entulho. Isso incluiu também a remoção de resíduos perigosos das casas queimadas e a entrega a lixões específicos que aceitassem esse tipo de material. 

Com tantos resíduos, o desafio era gerenciar toda a cadeia: os caminheiros contratados para o projeto, os veículos utilizados e o transporte dos resíduos para o local de descarte. Daí a ideia de utilizar IoT para agilizar essa demanda. 

Como IoT ajudou nesse desafio?

A companhia de construção já utilizava tecnologia RFID (identificação por radiofrequência) para tornar mais eficiente o processo de inspeção dos equipamentos pesados ​​que ela utilizava nas demandas. 

Criar a joint venture resultou na substituição dessas etiquetas por um pequeno dispositivo IoT. Quando conectado ao acendedor de cigarros de um caminhão, essa unidade era capaz de fornecer diversas informações e recursos, integrados a um painel central, entre elas: 

  • Rastreamento em tempo real por um GPS. 
  • ELD (dispositivo de registro eletrônico que mostra o quanto um motorista completou a rota). 
  • Diagnóstico do motor. 
  • Ponto de acesso Wi-Fi. 
  • Fluxos de trabalho de um motorista. 
  • Velocidade do veículo 
  • Análise avançadas dos dados. 

Com todos esses dados sendo enviados para uma central, a companhia identificou cada caminhão no projeto de limpeza com um número. Assim, uma equipe de gestão conseguia monitorar em tempo integral a movimentação dos veículos, indicando os lixões e as melhores rotas até eles. 

Isso foi essencial para o projeto, uma vez que as 3,6 toneladas de resíduos precisavam ser distribuídas em seis lixões. Embora um estivesse a 30 minutos do local onde ocorreu o incêndio, os outros cinco ficavam a mais de 300 quilômetros de distância. 

Os resultados dessa iniciativa

O uso de Internet das Coisas trouxe resultados expressivos para a joint venture. A adoção da tecnologia permitiu terminar a demanda 10 meses antes do previsto e abaixo do orçamento. Um ano após o incêndio, a Califórnia gastou mais de US$ 1 bilhão na limpeza dos resíduos. 

“Nossa parcela foi de aproximadamente US$ 600 milhões, com custos de transporte próximos a US$ 100 milhões”, disse Shep Nelson, superintendente de equipamentos da Goodfellow Bros. 

Além disso, o tempo de transporte dos entulhos foi reduzido em 40%, enquanto as horas utilizadas pelos caminhões caíram em quase 20%. Já a receita da companhia aumentou em aproximadamente 10%. 

Outro destaque foi para o gerenciamento de motoristas. A solução IoT foi utilizada para substituir os cartões físicos de ponto, permitindo receber o salário com maior agilidade e precisão. 

No final do projeto, a Goodfellow Bros. e as outras duas empresas da joint venture doaram US$ 250.000 para restaurar uma ponte coberta histórica que queimou no incêndio. 

Descubra mais sobre como a Internet das Coisas (IoT) pode impactar diversos negócios com os conteúdos abaixo: 

Principais destaques desta matéria

  • Internet das Coisas (IoT) foi a tecnologia usada para empresa planejar retirada de entulhos após um incêndio. 
  • Dispositivo IoT foi conectado aos caminhões, gerando diversos dados para traçar as melhores rotas. 
  • Tecnologia resultou em aumento de receita e término do projeto meses antes do planejado. 


Matérias relacionadas

Inovação

Entenda como o 5G vai impulsionar o DeFi

A quinta geração de telefonia vai viabilizar diversas tecnologias, como a IoT, cujos dispositivos contribuem para a segurança e a descentralização da blockchain

Inovação

Metaverso é a nova dimensão do varejo

Para além do e-commerce tradicional, algumas redes varejistas estão propondo aos seus clientes experiências imersivas em um ambiente de realidade estendida

Inovação

6G somente em 2030

Sexta geração de telefonia trará ainda mais velocidade e estabilidade; porém, a previsão é de que esteja disponível apenas em 2030

Inovação

Edge computing habilita o próximo nível do mercado de games

Experiência do setor de games pode ser ampliada com edge computing e processamento de dados em nuvem, mostram especialistas