Infraestrutura da Embratel habilita 5G em sala cirúrgica robótica

2 minutos de leitura

Primeiro hospital público do Brasil a usar cirurgia robótica utiliza infraestrutura da Embratel; projeto deve ser iniciado ainda no primeiro semestre deste ano



Por Redação em 07/04/2022

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) será o primeiro hospital público do país a utilizar a tecnologia de quinta geração da internet móvel. A novidade, que permitirá a entrada do 5G na sala de cirurgia robótica do centro cirúrgico do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), foi viabilizada por um programa de colaboração entre Claro, Embratel e InovaHC, o núcleo de inovação do HC.

O projeto inclui também a participação estratégica do beOn Claro, hub de inovação da operadora; da Embratel, que irá integrar soluções e habilitar a infraestrutura digital da iniciativa; da Ericsson, que fornecerá todos os equipamentos; e da startup NuT, de Natal (RN), responsável por implementar as técnicas de integração de dados.

5G e cirurgia robótica: solução disruptiva

O projeto deve ser iniciado ainda no primeiro semestre de 2022, por meio de uma prova de conceito (PoC), na qual os parceiros vão integrar as informações de monitoramento do paciente cirúrgico em uma base de dados que permita o acompanhamento e avaliação pela equipe médica, de forma remota.

Esses dados serão vinculados aos equipamentos do chamado carro de anestesia, aparelho onde é feito o monitoramento dos sinais vitais durante a cirurgia. Dessa forma, os agentes poderão fazer a avaliação tecnológica de latência, velocidade, estabilidade, qualidade e segurança, entre outros itens, na transmissão e demonstração dos dados via tecnologia 5G

As informações permanecerão dentro da instituição e serão transmitidas e organizadas em um banco de dados de forma anonimizada, ou seja, sem que possam identificar a qual paciente se referem.

“O intercâmbio de experiências proporcionado pela parceria da Claro e da Embratel com a Ericsson, a NuT e o InovaHC habilitará a criação de soluções disruptivas, a identificação de novos mercados e o fomento da inovação a partir das novas redes, novos sensores e da computação de borda”, disse Maria Teresa Lima, diretora-executiva da Embratel para Governo. “A Embratel está muito orgulhosa de realizar a integração das soluções utilizadas no projeto, habilitando toda a infraestrutura digital necessária”, completou. 

Na avaliação de Eduardo Polidoro, diretor de IoT da Claro, as áreas médica e hospitalar estão entre os segmentos que mais podem se beneficiar das vantagens oferecidas pelas tecnologias IoT e 5G. “As oportunidades são infinitas. Esse trabalho, em conjunto com o time do HC, vai nos ajudar a focar em aplicações que atendam às necessidades reais destes profissionais”, afirmou.



Matérias relacionadas

Inovação

Edge computing habilita o próximo nível do mercado de games

Experiência do setor de games pode ser ampliada com edge computing e processamento de dados em nuvem, mostram especialistas

edge computing no Brasil Inovação

Internet das coisas impulsiona o edge computing no Brasil

Pesquisa mostra que a IoT é o principal motivador para que as empresas de telecom invistam em edge computing no Brasil

scott galloway Inovação

Metaverso será mais audível e menos visual, diz Scott Galloway

Para o professor da New York University, Scott Galloway, o metaverso terá, como interface dominante, os aplicativos de voz

BID Fintechs Inovação

Para BID, fintechs são solução para combater informalidade

As fintechs contribuem para a inclusão digital e isso, consequentemente, é uma forma de combater a informalidade nas transações financeiras