metaverso corporativo

4 casos de uso do metaverso no ambiente corporativo

2 minutos de leitura

De processos seletivos a reuniões, o metaverso possibilita experiências diferenciadas e interativas aos profissionais



Por Redação em 25/07/2022

Embora muito se fale no tema, todo o potencial das aplicações do metaverso ainda é um tanto desconhecido. A ideia de um ambiente imersivo, que permita uma experiência próxima à realidade, abre um leque de possibilidades para empresas dos mais variados setores. 

No varejo, por exemplo, várias marcas já criaram lojas virtuais que prometem maior interação e melhores experiências de compra aos usuários. Mas as ferramentas de realidade virtual aumentada viabilizam as mais diversas iniciativas, desde a participação em eventos à distância, até processos seletivos. 

Confira algumas destas inovações. 

1. Contratação de profissionais

Recentemente, segundo notícia do Valor Econômico, a Ambev realizou um processo seletivo para contratação de estagiários por meio do metaverso. Segundo Nathalya Crisanti Rigitano, gerente global de cultura na Ambev, o intuito foi viabilizar uma maior conexão entre os candidatos e a empresa.

Segundo ela, a iniciativa permitiu que os interessados pudessem saber mais sobre a empresa, recebessem dicas sobre a etapa final e até participassem de uma dinâmica de grupo.

Além disso, o metaverso permite que pessoas participem de processos seletivos em qualquer lugar do mundo, de forma remota. 

2. Interação com clientes

O escritório Viseu Advogados, que garante ser o primeiro no Brasil a usar a tecnologia para interagir com os clientes, substituiu as videochamadas tradicionais por uma plataforma do metaverso. 

“Visualizamos a oportunidade de estar em um novo ambiente que nos permitisse acompanhar essa tecnologia e aconselhar clientes interessados em levar os seus negócios para esse novo mundo. São esses mesmos clientes que nos procuram para realizar reuniões dentro do metaverso”, afirmou Ricardo Martins Motta, sócio do escritório, ao Valor.

3. Reuniões em ambientes imersivos

Existe uma tendência de as empresas começarem a utilizar o espaço virtual para promover encontros, de acordo com Byron Mendes, professor do curso “metaverso e oportunidades de trabalho” e CEO da Metaverse Agency. Segundo ele, essa tecnologia permite, além de reuniões imersivas, nas quais o funcionário é representado por um avatar, o uso de dispositivos de realidade mista, nos quais os colaboradores conseguem interagir em espaços híbridos e personalizáveis.

Um exemplo disso foi uma conferência promovida pela PepsiCo, nos Estados Unidos, para 450 funcionários utilizando óculos de realidade virtual por meio da plataforma Mytaverse. Aliás, um estudo conduzido pela PwC prevê que, em 2030, cerca de 23 milhões e meio de funcionários ao redor do globo usarão tecnologias de realidade aumentada e virtual para treinamentos de equipes e reuniões.

4. Venda de imóveis

A startup Housi realizou uma venda de imóvel no metaverso e decidiu aproveitar o investimento nessa tecnologia para promover uma festa para suas equipes. O evento aconteceu no formato “figital”, sendo realizado simultaneamente em uma das lojas da Housi em São Paulo e no rooftop do prédio onde a companhia está sediada na plataforma desenvolvida em Decentraland. 



Matérias relacionadas

usina de Ouro Branco Inovação

Parceria com Embratel habilita indústria 4.0 na Gerdau

Com tecnologia da Embratel, a Gerdau vai implantar uma rede privativa dedicada 5G e LTE 4G em uma de suas fábricas, viabilizando os conceitos da indústria 4.0

Inovação

Desenvolvimento de IA dá lugar a BPO em planejamento de CFOs, aponta Gartner

Departamentos financeiros vão investir em outsourcing para implementar inteligência artificial em seus negócios em busca de mais sucesso nos projetos

Inovação

Metaverso exigirá mais cuidado com proteção de dados

O uso de um óculos de realidade aumentada por cerca de 20 minutos pode levar à captação de 20 milhões de dados de reações, biometria e comportamento

industria Inovação

Indústria 4.0: automação inteligente amplia competitividade das fábricas

Internet das coisas, inteligência artificial, robótica, big data e cloud computing, aliadas ao 5G, aceleram a produtividade das indústrias e aumentam a segurança dos processos