impressora 3d portatil Imagem gerada por Inteligência Artificial

Mercado poderá ter impressora 3D que “cabe na mão”

< 1 minuto de leitura

Protótipo tem alta velocidade por usar tecnologia com chips fotônicos



Por Redação em 03/07/2024

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e da Universidade do Texas, em Austin, ambas nos Estados Unidos, desenvolveram um protótipo de impressora 3D “portátil”, um equipamento tão pequeno que cabe na palma da mão. A ideia é que a microferramenta seja usada para criar objetos personalizados, como pequenas peças de máquinas.

De acordo com a agência oficial de notícias do MIT, O protótipo conta com um único chip fotônico em escala milimétrica. Isso é importante porque, ao contrário dos chips convencionais que usam eletricidade, os fotônicos usam a luz e conseguem ser bem mais rápidos. No caso do protótipo, o chip desenvolvido é menor do que uma moeda.

O hardware desenvolvido pelos pesquisadores não possui partes móveis e usa um conjunto de pequenas antenas ópticas para direcionar o feixe de luz, que é apontado para uma resina líquida, que seca rapidamente quando exposta a ele.

O protótipo já é capaz de imprimir formas bidimensionais em questão de segundos, como as letras MIT. Os pesquisadores agora têm planos para avançar para a impressão 3D volumétrica numa única etapa, em que um holograma de luz visível emitido pelo chip solidificaria a resina num objeto tridimensional completo.

Potencial

O potencial para uma impressora 3D portátil é enorme. O equipamento poderia ser usado na engenharia como uma ferramenta de trabalho, permitindo criar peças pequenas de acordo com a necessidade. Na medicina, a impressora 3D poderia ser usada para criar componentes de dispositivos médicos sob medida para cada paciente.

Claro que a tecnologia não vai se limitar a apenas isso. As aplicações para o mercado consumidor também podem ser muitas, revolucionando o design e a produção de objetos, ao permitir a personalização de forma rápida e fácil.


E-book gratuito: Conheça as possibilidades das cidades inteligentes e como colocá-las em prática

Saiba mais


Matérias relacionadas

drex liquidez Inovação

Drex: mais liquidez com uso de ativos

Clarissa de Souza, a responsável pela arquitetura que suportará a nova moeda digital, explica a sua funcionalidade e segurança

inclusao mulheres Inovação

Inclusão das mulheres na liderança também chega ao setor financeiro

Para Marisa Reghini, características femininas como colaboração e visão holística têm muito a contribuir para a evolução do setor como um todo

tendencias digitais Inovação

Sete tendências digitais para a década, segundo Sandy Carter

Executiva da Unstoppable Domains é especialista em web 3.0 e apontou caminhos na recente SXSW

bancos preparacao quantica Inovação

Bancos, indústrias e pesquisadores trabalham na preparação quântica

Tecnologia ainda depende de respostas da ciência básica, mas empresas já buscam antecipar as oportunidades e desafios com computação e comunicação baseadas nas propriedades de partículas elementares