Febraban Tech 2024 Febraban Tech 2024

Drex: mais liquidez com uso de ativos

2 minutos de leitura

Clarissa de Souza, a responsável pela arquitetura que suportará a nova moeda digital, explica a sua funcionalidade e segurança



Por Nai Fachini em 02/07/2024

“A ideia do Drex é ter, dentro de um sistema, uma conta que é a carteira (digital) e dentro dela poder ter uma infinidade de produtos financeiros, não só dinheiro, mas também títulos, ações e outros ativos digitais”, explica Clarissa de Souza, coordenadora de TI do Banco Central e líder de TI do projeto Drex. A especialista concedeu entrevista à série “Próximo Nível”, produzida durante o Febraban Tech 2024, em parceria com o The Shift. 

O raciocínio dela diz respeito à construção de uma cadeia de transações condicionadas a um contrato, a um código, e, a partir disso, se transacionam ativos financeiros. “Isso é o Drex”, afirmou.

Para Clarisse, a ideia do Banco Central é reunir os ativos em um único local com a possibilidade de uso conforme o entendimento de cada cliente, dando mais liquidez ao sistema financeiro. “O projeto foi criado com uma visão de finanças descentralizadas, que faz uso de blockchain. Nesse caso, a confiança é dada pela transparência dos dados, de forma que os dados são compartilhados com todos para que a veracidade seja atestada sem que ninguém fraude uma informação”, detalhou. 

Quando se traz para dentro do nosso sistema financeiro, tem o arcabouço regulatório, segundo ela, e essa segurança passa a ser dada pelas entidades que regulam o sistema. “Ou seja, há um descompasso, mas a gente percebe que as coisas estão evoluindo”, completou a especialista.

Clarissa ainda falou sobre o tempo necessário para que a evolução tecnológica aconteça e acompanhe o desenvolvimento do Drex. Segundo ela, o mais importante disso tudo é que “não tem projeto sem ter segurança, e não vai ter projeto sem ter privacidade”. 

Veja outras entrevistas produzidas em parceria com a The Shift no Febraban Tech 2024:
Tânia Consentino, Microsoft

Amanda Andreone, Genesys

Maria Teresa Lima, Embratel

Carolina Sansão, Febraban

Marisa Reghini, Banco do Brasil



Matérias relacionadas

inclusao mulheres Inovação

Inclusão das mulheres na liderança também chega ao setor financeiro

Para Marisa Reghini, características femininas como colaboração e visão holística têm muito a contribuir para a evolução do setor como um todo

tendencias digitais Inovação

Sete tendências digitais para a década, segundo Sandy Carter

Executiva da Unstoppable Domains é especialista em web 3.0 e apontou caminhos na recente SXSW

bancos preparacao quantica Inovação

Bancos, indústrias e pesquisadores trabalham na preparação quântica

Tecnologia ainda depende de respostas da ciência básica, mas empresas já buscam antecipar as oportunidades e desafios com computação e comunicação baseadas nas propriedades de partículas elementares

privacidade drex Inovação

BC testa abordagens de privacidade nos pilotos do Drex

Tema é obrigatório para o Banco Central no desenvolvimento da nova moeda digital