4 projetos de Realidade Virtual e Realidade Aumentada promissores

4 projetos de Realidade Virtual e Realidade Aumentada promissores

4 minutos de leitura

Apesar de pandemia ter freado adoção de RA e RV, empresas podem criar novas experiências ao usar essas tecnologias nos negócios.



Por Redação em 25/11/2020

Apesar de pandemia ter freado adoção de RA e RV, empresas podem criar novas experiências ao usar essas tecnologias nos negócios.

A pandemia do novo coronavírus até pode ter freado a adoção de realidade virtual (RV) e realidade aumentada (RA). Mas, de acordo com a consultoria IDC, as empresas ainda mantêm uma expectativa alta no desenvolvimento de soluções baseadas nessas tecnologias.

Segundo a consultoria, a adoção corporativa dessas tecnologias estava em alta neste ano. Porém, com a pandemia, as organizações redirecionaram os esforços financeiros para garantir a continuidade dos negócios.

Tanto que os gastos mundiais de RV e RA estavam previstos em US$ 18,8 bilhões. Desde então, a previsão da IDC é que o ano feche em US$ 10,7 bilhões. Mesmo assim, esse valor é ainda é maior do que o gasto em 2019 (US$ 7,9 bilhões).

Os casos de uso comercial serão responsáveis ​​por quase metade de todos os gastos de RA e RV em 2020. Enquanto a realidade virtual terá destaque em treinamento (US$ 1,3 bilhão), a realidade aumentada fechará o ano com forte presença na manutenção industrial (US$ 375,7 milhões).

E para o futuro? Para a IDC, a expectativa é a de que as empresas foquem nessas tecnologias para aprimorar o trabalho remoto, processos que não exijam contato físico e desenvolver espaços de reunião aumentados.

Um exemplo de um processo touchless seria a criação de uma interface que aproxime o layout físico e as funções digitais de um caixa eletrônico a um smartphone, possibilitando o saque e outras transações.

Assim, um consumidor não precisa inserir um cartão ou tocar em um ATM, basta se aproximar dele. Esse tipo de experiência também é conhecido como realidade estendida, que compreende o uso de RA e RV ou a combinação das duas.

Com diversas possibilidades de uso dessas tecnologias, o site CIO.com separou 4 exemplos que podem acontecer no mundo real. Confira.

1. Realidade aumentada ajuda no design de pneus

Desde 2019, a Goodyear começou a testar um headset RA da RealWear com o intuito de virtualizar algumas operações das fábricas de manufatura da companhia. O acessório fica acoplado em um capacete e pode ser controlado por comando de voz.

Assim, os mais de 1.500 engenheiros da Goodyear podem trabalhar em parceria com fornecedores e clientes no desenho e teste de pneus em diversas máquinas automotivas. Esse esforço se tornou importante com a chegada da pandemia, que limitou as viagens das equipes.

Graças à integração do RealWear com o Microsoft Teams, os engenheiros de produção da Goodyear colaboraram com designers na Alemanha para testar como pneus grandes funcionariam em máquinas de mineração.

2. RA no chão de fundição

A GlobalFoundries tem utilizado realidade aumentada para monitorar todo o chão de fábrica, realizar treinamentos e encontrar novas “alavancas de inovação”. Para realizar todos os registros, a companhia tem apostado em headsets e softwares de RA.

Assim, ela consegue reunir todos os dados (da produção e manutenção de máquinas, por exemplo), armazená-los, editá-los e reproduzi-los em sobreposições (dentro de um programa de RA) para treinar estagiários e novos colaboradores da companhia.

Esse tipo de abordagem agilizou em 10 vezes os procedimentos operacionais e reduziu o tempo de treinamento pela metade. Com isso, o fator eficiência se tornou um ponto de destaque dentro da companhia.

Até porque, o chão de fábrica da GlobalFoundries tem 10 andares e a realidade virtual permite os engenheiros compartilharem suas demandas por meio de vídeo ao vivo para outro colaborador remoto. Isso agilizou o tempo de reparo e conclusão de diversas tarefas.

3. Realidade virtual para encontrar erros

A companhia aérea Airbus tem usado os óculos ThinkReality X6 da Lenovo para encontrar e reduzir erros em aeronaves e diminuir o tempo de reparo de manutenção.

Um dos casos de uso é quando um técnico da Airbus coloca os óculos e recebe instruções de um especialista que orienta remotamente e em tempo real. O engenheiro também pode acessar e compartilhar desenhos CAD com o especialista remoto para agilizar o reparo da aeronave.

Outro exemplo do uso da tecnologia é a possibilidade de os pilotos visualizarem listas e verificação e outros documentos antes e durante os voos.

4. Realidade estendida em treinamentos

Em setores industriais, um fator-chave para o uso de realidade estendida é a capacidade de trabalhar sem o uso das mãos em locais remotos. Nesse sentido, a Accenture tem usado a realidade estendida para treinar funcionários.

Uma situação é a possibilidade de assistentes sociais sem muita experiência receberem simulações de treinamento por meio de fones de ouvido de realidade virtual.

O conteúdo usa narrativa envolvente e cenários interativos baseados em voz para ajudar os assistentes sociais a aprimorar suas habilidades de pessoal e de tomada de decisão.

Com isso, a companhia espera que a equipe se familiarize com situações do mundo real, além de reduzir custos na contratação de uma consultoria para orientar os novos colaboradores.

Quais as recomendações para essas tecnologias?

O consenso entre os especialistas ouvidos pelo site CIO.com é que essas tecnologias irão amadurecer à medida que elas se tornarem disponíveis e a um custo menor. Ou seja, as empresas precisam encontrar meios de dimensioná-las para que a RV e a RA agreguem valor de negócio.

Nesse sentido, as organizações devem priorizar o desenvolvimento de produtos que gerem oportunidades de alto valor, identificando áreas em que essas tecnologias possam:

  • Melhorar a eficiência para tarefas complexas.
  • Reduzir desperdício de tempo e de inatividade com tarefas de alto custo agregado.

É importante também criar estudos de caso para mostrar como as soluções de realidade virtual e aumentada demonstram diferenciação ao impactar na eficiência, eficácia e redução de custos.

Principais destaques desta matéria

  • Realidade aumentada e realidade virtual estão em evidência nas empresas.
  • Adoção de tecnologias foi impactada pela pandemia, mas a expectativa é a de que empresas voltem atenção para as tecnologias para aprimorar o trabalho remoto.
  • Confira 4 projetos que são promissores no uso de RA e RV.


Matérias relacionadas

Inovação

Seul, na Coreia, testa plataforma no metaverso

A Praça da Cidade de Seul virtual e locais de eventos integram um programa piloto que pretende levar várias atividades para o metaverso

Inovação

Entenda como o 5G vai impulsionar o DeFi

A quinta geração de telefonia vai viabilizar diversas tecnologias, como a IoT, cujos dispositivos contribuem para a segurança e a descentralização da blockchain

Inovação

Metaverso é a nova dimensão do varejo

Para além do e-commerce tradicional, algumas redes varejistas estão propondo aos seus clientes experiências imersivas em um ambiente de realidade estendida

Inovação

6G somente em 2030

Sexta geração de telefonia trará ainda mais velocidade e estabilidade; porém, a previsão é de que esteja disponível apenas em 2030