apis seguranca

APIs ligados à segurança são introduzidos no Brasil

2 minutos de leitura

A Claro e mais duas operadoras de telefonia móvel apresentaram três novos APIs como parte da iniciativa global GSMA Open Gateway



Por Redação em 08/01/2024

As operadoras de telefonia móvel Claro, Tim e Vivo anunciaram, em evento promovido pela GSMA, em São Paulo, três serviços de API (Application Programmable Interfaces. Em português, Interface de Programação de Aplicação) de rede ligados à segurança digital. O lançamento da Verificação por Número, da Troca de SIM e da Localização do Dispositivo são parte da iniciativa global GSMA Open Gateway e formam juntas um marco no perfil do Brasil frente às inovações digitais no contexto da América Latina.

A GSMA Open Gateway, lançada em março deste ano no MWC Barcelona, é uma estrutura comum e aberta entre os operadores que facilita o trabalho de programadores na criação de aplicativos e serviços de forma que haja uma intercomunicação entre eles e funcione para todos os dispositivos e consumidores. Os pontos de acesso únicos às redes móveis, os APIs, possibilitam essa estrutura que, na visão de executivos da área, representa uma mudança de paradigma como a indústria de telecomunicações, de maneira global, traz ao mercado novos aplicativos móveis e serviços imersivos e digitais.

Nesse primeiro momento, as operadoras trabalharam com o Infobip e a Microsoft Azure como parceiros estratégicos, sendo eles, respectivamente, os integradores técnicos e os provedores de plataforma de serviços. O vice-presidente de estratégia de telecomunicações da Infobip, Mijo Soldin, avalia que a parceria contribui para a democratização do ecossistema de mensagens global e aponta para a construção contínua com o setor de telecomunicações para o desenvolvimento de APIs que aprimorem a experiência do consumidor.

O diretor de Novos Negócios da Claro, Carlos Araujo, por sua vez, focou na segurança promovida pela iniciativa do Open Gateway ao se antecipar frente a um mercado em desenvolvimento contínuo.

“Essa ferramenta se destaca como um instrumento essencial para a revolução digital, com especial ênfase em seu potencial de validação de identidade e prevenção de fraudes. Ao se antecipar às demandas do mercado em constante evolução, a Claro está comprometida em liderar o caminho para soluções tecnológicas seguras. Estamos entusiasmados com o impacto positivo que essa iniciativa terá no avanço tecnológico mundial”, disse o executivo da Claro.

APIs introduzidas no cenário se segurança brasileiro

apis seguranca

Os três APIs introduzidos fazem parte de um projeto com foco no combate à fraude digital em instituições financeiras. Estes estão em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e com um dos princípios da mesma, a Privacidade desde a Concepção, que considera a privacidade durante todo o processo de elaboração do software. Conheça os três APIs em questão a seguir.

  • Verificação por Número: esse tipo de validação confere um avanço em relação aos modelos de autenticação de empresas que utilizam senhas únicas por SMS, por exemplo. Essa utilização pode melhorar a experiência do consumidor, principalmente daqueles que não são familiarizados com recursos tecnológicos.
  • Troca de SIM: permite a verificação em caso de mudança recente de cartão SIM. Assim, é possível verificar se houve alteração na relação entre o número do telefone do cliente e o cartão SIM. Dessa forma, previne ataques feitos através do controle do cartão SIM da vítima devido ao roubo de dados pessoais.
  • Localização do dispositivo: o API faz uma validação através da checagem da área fornecida pelo dono do dispositivo e a localização do dispositivo na rede do operador. Com isso é possível detectar possíveis transações falsas e evitá-las.

E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

ransomware Estratégia

Aumenta o número de vítimas de ransomware

Mais de 70% das organizações globais já foram assediadas por ransomware e tiveram consequências financeiras

politica nacional de ciberseguranca Estratégia

Política Nacional de Cibersegurança entra em vigor no Brasil

Entre os objetivos detalhados do decreto está prevista a regulação, fiscalização e controle para aprimorar a segurança e a resiliência cibernética nacional

computacao em nuvem Estratégia

Computação em nuvem pode gerar economia de US$ 3 trilhões até 2030

Relatório da consultoria McKinsey aponta melhorias que a tecnologia vai agregar

golpes digitais cresceram Estratégia

Golpes digitais cresceram 35% em 2023

Os golpes bancários ainda lideram a lista por segmentos, no Brasil