crescimento mundial

Com pouca inovação, crescimento mundial estagnou, mostra estudo

2 minutos de leitura

Estudo produzido pela FDC e World Economic Forum levou em consideração a inovação como pilar estruturante para a sustentabilidade, a resiliência e a inclusão



Por Redação em 23/02/2024

O Relatório “O Futuro do Crescimento 2024” elaborado pela Fundação Dom Cabral (FDC) em parceria com o World Economic Forum (WEF) mostrou que a economia mundial parou de crescer, e um dos motivos disso é a falta de inovação. Para os produtores da pesquisa, a nota baixa em inovação, um dos pilares do estudo, é “alarmante” porque este tema pode comprometer o desempenho nos três restantes: sustentabilidade, inclusão e resiliência.

Segundo Hugo Ferreira Braga Tadeu, professor e diretor do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC, o crescimento não se reduz ao PIB e é medido por outros aspectos como investimentos, competências humanas e inovação. Nesse sentido, é importante encontrar maneiras de melhorar a performance global, uma vez que a taxa média de crescimento anual do PIB caiu no período de 1991 a 2022.

Inovação como motor de crescimento

“A FDC e o WEF têm a crença de que a inovação é o motor da inclusão, da resiliência e da sustentabilidade. Inovação gera crescimento”, afirmou o executivo. 

Nesse pilar, a média global ficou em 45.2, com destaque positivo para países ricos como Suíça (80,37), Singapura (76,43) e Suécia(74,92). O Brasil obteve pontuação abaixo da média global, somando 41,81 pontos. Variando negativamente também estiveram o Iêmen (17,98), Angola (17,97) e Congo (21,88).

Desempenho brasileiro

No geral, o Brasil manteve suas pontuações próximas às da média global. Mas, dos quatro quesitos, o país se saiu melhor em sustentabilidade.

Embora não tenha apresentado um resultado elevado, o Brasil pode potencializar o seu crescimento frente às macrotendências a partir dos destaques positivos que conquistou, como mostra o documento. Com pontuação máxima em recursos hídricos e concentração de oferta de alimentos, dois indicadores de resiliência, o país está mais preparado para eventos que provoquem a escassez desses recursos, por exemplo.

Outros dois indicadores também colocam o país em posição vantajosa, são eles: investimento em energias renováveis e diversificação de fonte de energia. Em meio a transição energética e descarbonização, o Brasil investe em uma matriz energética renovável e diversificada.

No quer tange o universo de TI e Comunicação, os investimentos em TIC, o acesso à eletricidade em zona rural, o índice de segurança cibernética e a cobertura de rede móvel foram indicadores que também figuraram positivamente. O relatório, inclusive, destacou que a boa infraestrutura de tecnologia do país permite que negócios em diferentes setores e regiões possam se desenvolver nos próximos tempos, favorecendo a inclusão, a resiliência e a inovação.



Matérias relacionadas

ai academy Inovação

Web Summit Rio terá academia de IA

Palestras com especialistas vão discutir os vários usos da inteligência artificial

ageu dantas Inovação

Claro apresenta sua plataforma de Open Gateway em Barcelona

Empresa demonstrou uso comercial do SIM SWAP e Number Verification com vários parceiros durante o evento deste ano

big data analytics Inovação

Big Data Analytics opera como apoio estratégico à empresas

Tecnologia é capaz de fornecer, com a análise de dados, insights valiosos para o sucesso de um negócio

awsome women community summit Inovação

AWSome Women Community Summit: saiba tudo sobre o evento que reuniu lideranças femininas

A primeira edição no Brasil aconteceu em Belo Horizonte (MG) e reuniu mulheres de diversas regiões, focando no empoderamento feminino