Como o Brasil pode formar mais 106 mil profissionais de tecnologia ao ano?

< 1 minuto de leitura

Se isso não ocorrer, chegaremos a 2025 com déficit de quase 800 mil profissionais de tecnologia, segundo a Brasscom



Por Redação em 04/05/2022

A adição de disciplinas eletivas de tecnologia nos cursos de matemática, engenharia e ciências pode ser uma das maneiras para que o Brasil passe a introduzir no mercado mais profissionais de tecnologia nos próximos anos. Caso contrário, devemos chegar a 2025 com um déficit de quase 800 mil posições qualificadas na área. A recomendação – e também a avaliação quantitativa – é da Brasscom (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais.

A associação publicou o relatório Demanda de Talentos em TIC e Estratégia ΣTCEM no final do ano passado, onde demonstrou que o número de formandos em tecnologia está aquém da demanda, gerando um déficit anual de 106 mil talentos (ou 530 mil em cinco anos). “Os números refletem o crescimento acelerado do setor de TIC e deixam clara a urgente necessidade de que a formação profissional também seja ampliada no mesmo ritmo”, pontua o relatório da Brasscom.

Matemática, engenharia e ciência ajudando na formação de profissionais de tecnologia

Como solução, a associação recomenda a estratégia ΣTCEM, que faz referência a uma soma de talentos nas áreas de tecnologia, ciências, engenharia e matemática. De modo prático, a ideia é que se introduzam disciplinas eletivas de tecnologia nesses cursos, que, segundo a Brasscom, têm afinidades com as habilidades necessárias para atuação dos programadores. “Os dados mostram que há muito emprego no setor, mas também que as grades do ensino superior precisam estar mais bem alinhadas ao que o mercado de trabalho precisa”, disse Helena Loiola, economista que coordenou o estudo da Brasscom.

Para a Brasscom, despertar o interesse dos jovens pela formação em tecnologia é outro desafio, assim como melhorar a diversidade no setor, já que, aidna hoje, 82,5% dos alunos e curtos de TIC são homens.



Matérias relacionadas

redes neutras Estratégia

Redes neutras de fibra óptica viabilizam novos negócios

Redes neutras para conexão de banda larga estão amadurecendo novos modelos de negócios para provedores de acesso à internet e investidores

habilita o varejo Estratégia

Tecnologia se tornou espinha dorsal que habilita o varejo

Em entrevista, Daniel Feche, da Embratel, explica que a pandemia não só acelerou a digitalização do varejo como também mostrou a relevância das tecnologias para os negócios

home office microsoft Estratégia

Para CEO da Microsoft, home office abre várias oportunidades

Tânia Cosentino, CEO da Microsoft, diz que o home office veio para ficar e que o modelo de trabalho flexível permite que empresas, principalmente de tecnologia, retenham talentos

varejo em 2022 Estratégia

Conheça as cinco tendências para o varejo em 2022

Digitalização foi um dos motivos para o bom desempenho do setor. Conheça as demais razões para o sucesso