Conheça 7 exemplos de quem já usa machine learning

Conheça 7 exemplos de empresas que apostaram em machine learning

3 minutos de leitura

Aprendizado de máquina traz benefícios para as empresas como tomada de decisão mais assertiva e melhor experiência de usuário.



Por Redação em 22/03/2019

Principais destaques:

Machine Learning analisa dados para reconhecer padrões nas empresas e clientes;
– Isso permite prever comportamentos ou resultados e tomar decisões mais assertivas;
– Empresas de diversos setores utilizam inovação para melhorar seus negócios.

Aquela indicação de filme ou série na Netflix, de uma nova música no Spotify ou até mesmo de um produto no Google não aparecem para o consumidor por acaso. Por trás dessa “mágica”, essas três empresas utilizam o aprendizado de máquina (Machine Learning, em inglês) para garantir uma tomada de decisão mais assertiva e uma melhor experiência do usuário.

Mas como explicar o que é Machine Learning? Essa inovação é um dos braços da Inteligência Artificial (até já falamos de empresas nacionais que trabalham exclusivamente com IA) e utiliza técnicas estatísticas para construir sistemas computacionais inteligentes que irão aprender a partir de bancos de dados disponibilizados pelas próprias empresas.

Em um exemplo básico, quando nós realizamos a mesma tarefa repetidas vezes, conseguimos executá-las muito bem após um tempo. A mesma coisa acontece com o Machine Learning. Os algoritmos, apoiados por dados coletados pela empresa, vão aprendendo de forma contínua a ponto de precisar de pouca ou quase nenhuma intervenção humana.

Essas máquinas irão analisar esses dados para reconhecer padrões e executar ou melhorar determinadas tarefas e prever resultados ou mudanças de comportamento. – seja interno (como invasão na infraestrutura) ou externo (direcionamento de publicidade, por exemplo). Os benefícios são tomada de decisão mais assertiva, o diagnóstico, monitoramento e reparo de sistemas e equipamentos inteligentes e a otimização de processos.

Onde o Machine Learning está inserido?

Atualmente, o aprendizado de máquina tem sido usado em diferentes campos. Por exemplo, no setor financeiro, o uso de Machine Learning pode ajudar a detectar um cliente que pensa fechar sua conta antes mesmo que isso ocorra, a rastrear padrões de gastos desse cliente e até mesmo fazer uma análise de mercado.

Com potencial de impactar o consumidor e a cultura de uma empresa, o Machine Learning é uma estratégia que trará ainda mais vantagem competitiva. Por isso, o Mundo + Tech reuniu (a partir desta lista feita pela Forbes) exemplos reais de companhias que viram nessa inovação uma oportunidade de inovar seus negócios.

Energia

A GE tem utilizado Machine Learning, Big Data e Internet das Coisas (IoT) para construir uma “Internet de Energia” na tentativa de fornecer energia para o século 21 de uma maneira mais inteligente. A análise avançada e o aprendizado de máquina têm ajudado a empresa a realizar manutenção preditiva e otimizar a energia, operações e negócios.

Varejo

Com a missão de garantir uma melhor experiência para clientes das lojas físicas e virtuais, o Walmart tem criado soluções baseadas em aprendizado de máquina, inteligência artificial e IoT. Um dos esforços é o uso de tecnologia de reconhecimento facial para determinar se os clientes estão satisfeitos ou tristes.

Automotivo

A montadora alemã BMW quer mudar a relação do motorista com o veículo com o BMW Natural Interaction. O sistema será capaz de registrar e processar as falas do motorista por meio da linguagem natural, enquanto o algoritmo de Machine Learning vai reunir essas informações e interpretá-las. A ideia é deixar os veículos mais humanos. O iNext, um SVU elétrico previsto para 2021, será o primeiro carro com essa interface.

Financeiro

A American Express tem 110 milhões de cartões em operação e processa US$ 1 trilhão em transações. Ela consegue economizar milhões em perdas por fraude com o uso de algoritmos de análise de dados e aprendizado de máquina, que ajudam a detectar golpes quase que em tempo real. Além disso, a empresa desenvolve apps para conectar clientes a produtos, serviços e ofertas especiais.

Indústria da música

Pode não parecer, mas a música “Not Easy”, do artista Alex da Kid, foi composta a partir de algoritmos de Machine Learning. O cantor e compositor utilizou o Watson BEAT para achar elementos musicais que o ajudassem a compor a canção. O resultado foi que o single, que conta com as participações de Elle King, Sam Harris e Wiz Khalifa, atingiu o nº 4 no iTunes Hot Tracks em apenas 48 horas após o lançamento.

Saúde

A Infervision é uma startup com base na China que utilizou Inteligência Artificial e aprendizado de máquina para ajudar radiologistas a procurar sinais precoces de câncer de pulmão em pacientes. Por ano, o país realiza 1.4 bilhão de tomografias e, para esses profissionais, revisá-las levaria ao cansaço e erro. Ao treinar e ensinar algoritmos, a startup levou maior produtividade aos radiologistas e um diagnóstico mais preciso e eficaz.

Comunicação

A agência de notícias britânica Press Association (PA) fechou parceria com a Urbs Media, especialista em automação de notícias, para criar o projeto RADAR (Reporters and Data and Robots, ou Repórteres e Dados e Robôs, em tradução livre). A ideia é que robôs escrevam notícias locais com o uso de tecnologia alimentada por dados do governo, serviços públicos e autoridades locais.



Matérias relacionadas

ciberseguranca pmes Estratégia

Falta de cibersegurança causa efeitos notórios nas PMEs, mostram pesquisas

Mais de 27% das pequenas e médias empresas (PMEs) não colocam a cibersegurança como prioridade no orçamento

migracao para cloud Estratégia

5 erros na migração para cloud

Planejamento e equipe capacitada estão entre os principais cuidados para as organizações que desejam fazer a migração para cloud

Ásia tecnologia Estratégia

Lições da Ásia para o futuro da tecnologia

Estudo aponta que haverá mais 900 milhões de usuários de internet na Ásia até 2025, o que demanda investimentos de mais US$ 151 bilhões em TI até esta data

varejo tecnologia Estratégia

Varejo usa tecnologia para entregar boa experiência de consumo 

Com participação do Boticário, 5º episódio da minissérie Empresas Líquidas mostra como os dados e a tecnologia empoderam o cliente no varejo