empresas digitalizadas

Empresas digitalizadas faturam mais, segundo Mckinsey

2 minutos de leitura

Estudo trata a transformação digital nas empresas brasileiras, revelando insights e setores mais avançados



Por Redação em 09/06/2023

De acordo com estudo realizado pela consultoria McKinsey, as organizações que investem em digitalização apresentam melhor desempenho financeiro. O Índice de Maturidade Digital, como é chamado o estudo, entrevistou 124 empresas brasileiras de grande e médio portes. As organizações são de diferentes segmentos, e foram avaliadas em quatro grupos: Líderes digitais, Ascendentes, Emergentes e Iniciantes. 

A pesquisa teve apoio da ferramenta Analytics & Digital Quotient (A&DQ), desenvolvida pela própria consultoria e que analisa as 22 práticas de gestão, divididas em quatro dimensões: estratégia, capacidades, organização e cultura. O domínio destas áreas define o grau de maturidade digital da companhia, de modo que as empresas identificadas como líderes digitais, apresentam um quociente elevado por trabalhar os quatro âmbitos de maneira complementar e proporcional. 

Para além de classificar as empresas digitalizadas em grupos, o Índice de Maturidade Digital coletou informações acerca do processo de digitalização no Brasil. Os resultados foram cinco insights: (1) desempenho financeiro, (2) comparação em escala global, (3) caráter complementar das práticas, (4) desafios da transformação digital e (5) relação da maturidade com o setor de atuação da empresa.

Esses resultados foram compilados em 5 insights, veja: 

1- Empresas digitalizadas têm melhor rendimento financeiro

empresas digitalizadas

Em relação ao EBITDA, as organizações líderes digitais crescem até três vezes mais do que o restante das empresas, em escala nacional. Isso se deve à utilização do digital como ferramenta de melhoria na organização, em relação à estrutura interna e ao cliente. 

O uso da tecnologia, no sentido de aprimorar a experiência do consumidor e refinar os dados obtidos, é um dos fatores responsáveis pelo crescimento cinco vezes maior de instituições mais digitalizadas em comparação a outras.

2- Líderes digitais do Brasil se assemelham aos globais e se distanciam dos demais brasileiros

Os líderes digitais do Brasil apresentam média no nível de maturidade de 66 pontos na escala A&DQ. Eles estão próximos ao índice dos líderes globais (67 pontos). Já em escala nacional, há uma discrepância em relação às demais empresas. O componente responsável pela disparidade é organizacional, visto que essa dimensão fornece os meios necessários para que a transformação digital ocorra.

3- Os líderes digitais compreendem o caráter complementar das quatro dimensões e incorporam  as práticas

empresas digitalizadas

A aplicação de iniciativas digitais, alinhadas à utilização de meios e técnicas aprimoradas, com quadro especializado e com indicadores de performance, são esforços que líderes globais aplicam para alavancar o desempenho. Estas características fortalecem o processo de transformação digital e as distanciam das demais empresas. Além disso, as empresas líderes se destacam em três práticas consideradas mais difíceis: estrutura organizacional, experimentação e jornada do cliente.

4- Desafios comuns na transformação das empresas digitalizadas

  • Roadmap: a base para a estratégia digital e de analytics deve estar alinhada aos diferentes setores da empresa. 
  • Dados e analytics: são peças fundamentais para entender o consumidor e definir as ações futuras nos negócios atuais.
  • Talentos: após identificar, deve-se capacitar dentro do contexto digital e cultural.
  • Mentalidade baseada em dados: fortalece uma cultura objetiva pautada em dados para ser assertivo nas decisões.

5- Maturidade digital relacionada ao segmento de mercado

Ainda que não haja regras e que o grau de maturidade digital seja obtido mediante aos esforços da empresa, alguns setores de negócios agrupam os maiores índices. No Brasil, isso fica claro nos segmentos de Varejo, Serviços Financeiros e TIC (TI e Comunicações).


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

ia na cadeia de suprimentos Estratégia

Executivo aponta ganhos com IA na cadeia de suprimentos

Para CEO da Stefanini Brasil, tecnologia pode prever e antecipar falhas em supply chain

fintechs febraban tech 2024 Estratégia

Parceria entre fintechs e bancos fortalece setor financeiro 

Evento que acontece entre 25 e 27 de junho, em São Paulo, traz uma trilha temática sobre as oportunidades conjuntas entre esses dois tipos de empresas

ciberseguranca Estratégia

Novo arsenal de golpes desafia cibersegurança

Criminosos lançam mão de tecnologias como deepfake e LLMs para atacar em várias frentes

deepfakes nas eleicoes Estratégia

Legislação pode ser aliada no combate às deepfakes 

Especialistas da área jurídica indicam necessidade de regulação do uso da tecnologia