home office microsoft

Para CEO da Microsoft, home office abre várias oportunidades

< 1 minuto de leitura

Tânia Cosentino, CEO da Microsoft, diz que o home office veio para ficar e que o modelo de trabalho flexível permite que empresas, principalmente de tecnologia, retenham talentos



Por Redação em 25/04/2022

O home office imposto pela pandemia acabou trazendo um efeito bastante positivo para muitos profissionais, que puderam passar a trabalhar, de forma remota, para empresas localizadas em qualquer parte do mundo. Em muitos casos, essa ausência de fronteiras geográficas trouxe oportunidades como remuneração em uma moeda mais forte, atuação na sede de grandes organizações multinacionais e experiências diversas. 

Por isso, na visão de Tânia Cosentino, CEO da Microsoft, as empresas que quiserem obrigar o retorno presencial, em tempo integral, tendem a perder talentos. E esse risco, segundo ela, é ainda maior na área de tecnologia, na qual há uma escassez de profissionais e uma competição global pelos mais especializados. 

 “As empresas não podem se dar ao luxo de perdê-los por insistirem nesse modelo pouco flexível”, disse ela, no podcast CBN Profissional, em parceria com o Valor. 

Microsoft optou pelo modelo híbrido, mantendo o home office

De acordo com a executiva, a Microsoft fez um levantamento com mais de 30 mil funcionários, em 30 países, e concluiu que a maioria deseja manter o home office. Assim, a empresa vem adotando o modelo híbrido. 

“Não existe modelo de trabalho perfeito, mas é preciso escutar as pessoas para construir processos e rituais que permitam clareza sobre quando e por que o funcionário precisa ir ao escritório, e alinhar isto às expectativas deles”, afirmou Tânia.

Além da flexibilidade, ela defende que as empresas devem criar planos de desenvolvimento de carreira e um ambiente que estimule o desenvolvimento de talentos. “O crescimento não precisa ser somente vertical. Os líderes devem estimular movimentações laterais para que os funcionários ganhem novas experiências e habilidades”, disse ela. 


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

gen ai preocupa Estratégia

Ascensão de GenAI preocupa líderes de compliance e privacidade

Segundo o Gartner, 70% dos líderes jurídicos, de compliance e de privacidade demonstram preocupação com a rápida ascensão de GenAI

tendencias para 2024 Estratégia

Transformação digital: confira 6 tendências para 2024

Os gastos globais com tecnologia ultrapassaram os US$ 4,5 trilhões em 2023, segundo o Gartner

ransomware Estratégia

Aumenta o número de vítimas de ransomware

Mais de 70% das organizações globais já foram assediadas por ransomware e tiveram consequências financeiras

politica nacional de ciberseguranca Estratégia

Política Nacional de Cibersegurança entra em vigor no Brasil

Entre os objetivos detalhados do decreto está prevista a regulação, fiscalização e controle para aprimorar a segurança e a resiliência cibernética nacional