tendências de TI

Confira as 13 principais tendências de TI para 2022

Com os avanços tecnológicos cada vez mais rápidos, empresas que conseguem se adaptar às mudanças e investir em ferramentas digitais garantem a competitividade



Por Redação em 14/01/2022

O investimento em transformação digital permanecerá crescendo, com uma taxa anual de 15,5% até 2023, aproximando-se de US$ 6,8 trilhões. Em 2022, 70% de todas as empresas terão acelerado o uso de tecnologias digitais.

A conclusão é de um relatório da International Data Corporation (IDC), que espera que mais da metade da economia global, em 2022, seja baseada (ou influenciada) pela digitalização, visto que a maioria das empresas de produtos e serviços já utiliza esse modelo em suas entregas ou precisa investir mais em ferramentas digitais para manter as suas atividades em funcionamento. 

“O digital é agora um elemento permanente, mas dinâmico em nosso mundo, e os próprios setores de TI e comunicações estarão entre os mais transformados nos próximos anos”, afirmou Rick Villares, vice-presidente da IDC Group, segundo o InforChannel.

No mesmo sentido, uma análise da consultoria Gartner mostrou que as organizações devem encontrar soluções que multipliquem a força dos recursos de TI para permitir o crescimento e a inovação. Para gerar competitividade no mercado, mais da metade de todos os investimentos em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) estarão vinculados à transformação digital até 2024. 

Confira, a seguir, as 13 principais previsões de TI para 2022 e as tendências que devem ser observadas pelas organizações (desde já) para os próximos anos.

1. Digital-firts para clientes e operações

Digital-first nada mais é do que priorizar os serviços digitais e as soluções mais inovadoras em vez dos tradicionais, a fim de facilitar a jornada de clientes e operações no ambiente digital. Segundo o estudo do IDC, as empresas vão permitir experiências empáticas, mudando 70% de todos os gastos com tecnologia e serviços, em 2024, para dar suporte a diversos modelos de engajamento do cliente e operações baseadas em nuvem.

2. Serviços de governança para as equipes de TI

Até 2023, 80% das empresas vão utilizar serviços de governança associados à nuvem e assistidos por Inteligência Artificial para gerenciar, otimizar e proteger recursos e informações dispersas.

3. Pacotes integrados

Em 2022, 40% dos orçamentos de TI das grandes empresas serão redistribuídos devido à adoção de pacotes integrados, como serviço em áreas de segurança, plataformas em nuvem, espaço de trabalho virtual e conectividade.

4. Transições de tecnologia sistêmica

Até 2026 os líderes do setor de tecnologia vão passar por diversas mudanças com a chegada do 5G, blockchain, veículos elétricos, entre outras, o que pode triplicar a demanda por investimentos em TI.

5. Automatização de processos

Em 2022, 45% das tarefas de trabalho repetitivas em grandes empresas serão automatizadas, segundo a IDC, eliminando trabalhos burocráticos e contribuindo para aumentar a produtividade, já que os profissionais terão mais tempo para atividades estratégicas. 

Segundo o Gartner, o mercado mundial de hiperautomação atingirá US$ 600 bilhões em 2022, o equivalente a um crescimento de 23% em relação a 2020.

6. Sistemas Autônomos

Sistemas autônomos são sistemas físicos ou de software autogerenciadores que aprendem com seus ambientes. Ao contrário de sistemas automatizados, eles podem modificar dinamicamente seus próprios algoritmos sem uma atualização de software externa, permitindo que eles se adaptem rapidamente a novas condições.

7. Experiência digital

Em 2023, 50% das empresas utilizarão metade de seus gastos com hardware e conectividade, para reconceituar experiências de clientes e funcionários em seus espaços. O objetivo é capturar e reter o seu público.

Dentro do contexto de melhorar a experiência, as plataformas de pesquisa por voz devem crescer, agilizando diversas ações, inclusive compras em e-commerces. O Gartner indica que as marcas pioneiras no uso de voz para atendimento e vendas vão conquistar até 30% a mais no faturamento. Com o aumento das demandas digitais, os chatbots inteligentes se tornaram mais importantes do que nunca.

8. Inteligência artificial

A IDC prevê que os gastos globais com IA vão dobrar em quatro anos, chegando a US$ 110 bilhões em 2024. Para a consultoria, a perspectiva é que o setor cresça 18,8% em 2022, contabilizando um mercado de R$ 342 bilhões.

Segundo a previsão, até 2023, um quarto das empresas adquirirá pelo menos um projeto de software de IA e suas vertentes, como machine learning e deep learning. Vale destacar que o machine learning permite o aprendizado contínuo dos robôs a partir do recebimento de dados estruturados e não estruturados.

Para a Gartner, até 2025 os 10% das empresas que estabelecerem as melhores práticas de engenharia de Inteligência Artificial poderão gerar pelo menos três vezes mais valor pelos seus investimentos do que os 90% das empresas que não o fazem.

9. Sustentabilidade

Em 2025, 60% das organizações vão contar com equipes de sustentabilidade digital, com o objetivo de avaliar, certificar e coordenar o uso de dados de sustentabilidade de negócios, buscando ferramentas, dados e análises para estabelecer metas significativas, incluindo as ações relacionadas à agenda ESG (preocupação social, com o meio ambiente e com goverança).

10. Segurança e controle de dados

Cada vez mais as pessoas se preocupam com a segurança e privacidade. 92% dos brasileiros temem ameaças e 73% já sofreram algum tipo de ataque virtual, segundo uma pesquisa da Mastercard, em parceria com o Datafolha. 

A proteção de dados também é extremamente relevante para as empresas, pois os vazamentos podem ser punidos pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), além de comprometerem a imagem da organização perante o público. Assim, a segurança cibernética tem papel de destaque nos próximos anos. 

Até 2025, 80% das empresas precisarão reestruturar seus processos de governança, destaca a IDC. 

Além disso, o Gartner espera que 60% das grandes organizações usem uma ou mais técnicas de computação que melhorem a segurança das informações até 2025. Até 2024, a consultoria destaca que organizações que adotam malhas de segurança cibernética (CSMA, ou Cybersecurity Mesh Architecture) para integrar ferramentas de segurança reduzirão o impacto financeiro de incidentes individuais de segurança em uma média de 90%.

11. Plataformas Nativas da Nuvem

Para realmente fornecer recursos digitais em todos os lugares, as organizações devem usar computação em nuvem para fornecer soluções escaláveis e elásticas relacionadas à TI, “como um serviço”. O Gartner prevê que as Plataformas Nativas de Nuvem servirão de base para mais de 95% das novas iniciativas digitais até 2025, contra menos de 40% em 2021.

12. Experiência Total (TX)

TX é uma estratégia de negócios que combina as disciplinas de experiência do cliente (CX), experiência do funcionário (EX), experiência do usuário (UX) e multiexperiência (MX). Para o Gartner, essa é uma estratégia para ampliar os lucros corporativos. 

13. Empresas distribuídas

Com o crescimento dos padrões de trabalho remotos e híbridos, as organizações tradicionais estão evoluindo para empreendimentos distribuídos, o que requer mudanças técnicas e de serviços. O Gartner espera que, até 2023, 75% das organizações que exploram benefícios de empresas distribuídas cresçam 25% mais rápido que os concorrentes.

A busca por novas ferramentas aumentará de forma significativa nos próximos anos, mas a forma de atender aos objetivos e às expectativas vai continuar sendo um desafio para muitas empresas.

“Os CIOS devem estabelecer equipes de aquisição, desenvolvimento e operações que se alinhem a modelos de entrega de tecnologia centrada em serviços e resultados, enquanto a tarefa principal dos provedores de TIC é ajudar as empresas a compartilhar, usar, administrar e aumentar o valor dos dados”, disse Rick Villars.



Matérias relacionadas

setor eletrico ciberseguranca Estratégia

Digitalização do setor elétrico requer cuidados em cibersegurança

O aumento de ataques a empresas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica deve ampliar investimentos em segurança digital em 2021, inclusive no Brasil

saúde digital Estratégia

Saúde digital vai dobrar em 5 anos e América Latina está ficando para trás

Pesquisa mostra que Estados Unidos e China, que já concentram 60% desse mercado, devem manter a dianteira, sendo que a falta de interoperabilidade é entrave para países em desenvolvimento

tendências de tecnologias do Gartner Estratégia

CIOs integrados a negócios pautam tendências de tecnologias do Gartner para 2022

Consultoria lista as 12 principais tecnologias para o ano e mostra como os CIOs estão cada vez mais integrados às decisões de negócios

CEO nuvem Estratégia

CEOs precisam mergulhar na nuvem para vencer corrida de US$ 1 tri até 2030

McKinsey levanta que vários segmentos industriais têm a possibilidade de aumentar EBITDA em 20%, desde que os CEOs mergulhem no cloud cumputing na próxima década