5G e LTE: existem diferenças entre essas duas tecnologias?

5G e LTE: entenda as diferenças entre as tecnologias

3 minutos de leitura

Entenda quais são as diferenças entre a quinta geração de conectividade móvel e as redes LTE



Por Redação em 10/03/2024

As redes 5G e LTE convivem juntas no sistema de conectividade móvel. Mas você sabe a diferença entre elas? Em última instância, o 5G entrega maior velocidade de download e menor latência. Isso significa uma conexão mais estável, mesmo com um número maior de dispositivos conectados.

Mas as diferenças entre essas duas redes não param por aí. Por isso, listamos abaixo algumas explicações sobre o que cada tecnologia oferece para os negócios e usuários. Confira.

LTE e 4G

“LTE, que significa ‘Long-Term Evolution’, e 4G, que representa a quarta geração de conectividade móvel, são termos frequentemente utilizados de forma intercambiável, mas referem-se a conceitos ligeiramente diferentes.

O 4G é uma designação mais ampla para a quarta geração de padrões de comunicação móvel, incluindo tecnologias como LTE, WiMAX e HSPA+. Já o LTE, como uma tecnologia específica dentro dessa categoria, se destaca por oferecer velocidades de download e upload mais rápidas em comparação com as gerações anteriores.

LTE ou 3G?

Preferir redes 4G LTE em vez de 3G oferece vantagens significativas em termos de velocidade de dados e desempenho de rede. O Long-Term Evolution é uma tecnologia de comunicação sem fio mais avançada, proporcionando uma experiência de navegação mais rápida e estável em comparação com o 3G. Optar por LTE garante uma conectividade mais eficiente, especialmente em ambientes com alta demanda por largura de banda, resultando em uma experiência de usuário aprimorada.

5G e LTE: diferenças

Na teoria, o 4G pode atingir velocidades de download de até 150 Mbps. Já as de upload devem chegar a até 50 Mbps. Mas isso vai depender da frequência utilizada pelas operadoras. Aqui no Brasil, a rede é distribuída em 5 bandas:

  • Banda 1: com frequência nominal de 2.100 MHz.
  • Banda 3: com frequência nominal de 1.800 MHz.
  • Banda 5: com frequência nominal de 850 MHz.
  • Banda 7: com frequência nominal de 2.600 MHz.
  • Banda 28: com frequência nominal de 700 MHz.

Há duas principais categorias da quinta geração de conectividade móvel: o 5G de ondas milimétricas (mmWave), conhecido por sua alta velocidade, e o 5G de frequência abaixo de 6 GHz, que oferece uma cobertura mais ampla. Ambas as variantes buscam aprimorar a conectividade móvel, proporcionando diferentes benefícios em termos de velocidade e alcance.

Na prática, a velocidade de download e upload pode mudar dependendo da geolocalização. Por exemplo, algumas operadoras utilizam a frequência de 700 MHz próxima a municípios do interior e que tenham poucos habitantes.

A frequência de 700 MHz tem maior alcance de cobertura, exigindo menos antenas nesses locais. Porém, ela possui menor capacidade de atender usuários simultâneos e a velocidade de download e upload é mais baixa.

Frequências do 5G

Com o 5G, a expectativa é de levar maiores velocidades de internet, possibilitando empresas de diversos setores e a indústria a habilitarem mais dispositivos conectados, criando um ecossistema inteligente para carros autônomos e automação do chão de fábrica, por exemplo.

Outro benefício é fornecer banda larga de alta velocidade, sem a necessidade de as operadoras precisarem levar fibra ou cabeamento de cobre às empresas. Essas promessas devem ser cumpridas porque o 5G usa espectros de alta frequência:

700 MHz

Para melhorar o 4G e distribuir 5G, no futuro.

2,3 GHz

O mesmo objetivo da frequência de 700 MHz.

3,5 GHz

Frequência voltada ao consumidor final.

26 GHz

Frequência pensada para banda larga fixa.

Tipos de 5G

Há três principais tipos de 5G: o 5G standalone (SA), o 5G non-standalone (NSA) e o 5G DE Compartilhamento Dinâmico de Espectro (DSS).

O 5G standalone tem uma arquitetura totalmente independente. Ou seja: ele não depende de infraestruturas legadas de 4G. Isto é diferente do 5G non-standalone, que precisa ser integrado à rede 4G, mas que, de todo modo, permite a plena utilização do potencial do 5G para a implementação de serviços avançados de digitalização, como a comunicação de máquina com máquina (M2M) e a internet das coisas (IoT).

Já o 5G DSS, usa somente a infraestrutura 4G. Sua velocidade é menor do que a das outras tecnologias 5G, chegando 51,7 megabits por segundo de download. A latência também é menor, chegando a 60 milissegundos.

Minha empresa já pode considerar o 5G?

Se sua empresa busca avançar em conectividade, considere o 5G se necessitar de velocidades mais rápidas, baixa latência e suporte a uma ampla gama de dispositivos. Avalie suas necessidades específicas, o ecossistema local e a disponibilidade de infraestrutura 5G para determinar se é o momento certo para a transição.

Na visão de negócios, por ter maior largura de banda e baixa latência, o 5G não pode ser descartado. Ainda mais se a empresa precisa de conectividade para o uso de internet das coisas.



Matérias relacionadas

iot em servicos financeiros Conectividade

Bancos prospectam IoT em serviços financeiros

Combinação de dispositivos inteligentes e conectividade 5G abre novas possibilidades, que ainda precisam passar pelo crivo do mercado

multicloud hibrida Conectividade

Empresas melhoram resultados com uso de multicloud híbrida

Explorar os diferenciais de funcionalidades e custos dos provedores implica novas abordagens de gerenciamento e tomada de decisão

satelite da embratel Conectividade

Cindactas da Força Aérea vão usar comunicação satelital da Embratel

Comando da Aeronáutica contrata serviços na Banda C, com satélite Star One C3

baixa conectividade significativa Conectividade

Brasil tem maioria da população com baixa conectividade significativa

Levantamento do Cetic.br/NIC.br apontou que os brasileiros tem deficiências no acesso, no uso e na apropriação da rede