CIAB 2019 Blockchain não interfere na LGPD, garante Ana Paula Assis, da IBM

CIAB 2019: Blockchain não interfere na LGPD, garante Ana Paula Assis, da IBM

2 minutos de leitura

Presidente da IBM para a América Latina diz que setor financeiro pode se adaptar à velocidade da transformação digital com a tecnologia.



Por Redação em 27/06/2019

Principais destaques:
– Para Ana Paula Assis, da IBM, blockchain vai trazer ainda mais privacidade e segurança;
– Executiva acredita que a tecnologia não conflita com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD);
– Ela afirma ainda que setor financeiro deve ver o blockchain como oportunidade e não ameaça.

Desde que a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) foi sancionada, diversos setores discutem como a legislação e o blockchain podem estar em sintonia. “A impressão é que o blockchain permite que a empresa tenha visibilidade de toda transação que acontece na rede”, disse Ana Paula Assis, presidente da IBM para a América Latina, durante encontro no CIAB FEBRABAN 2019, que aconteceu de 11 a 13 de junho em São Paulo.

Na palestra que abordava o uso de blockchain para negócios, Assis foi enfática ao dizer que esta tecnologia vai trazer ainda mais privacidade e segurança ao setor financeiro. “Os algoritmos de criptografia que compõem o blockchain vão garantir esses itens”.

Sobre a “visibilidade de toda transação”, a presidente da IBM afirmou que o blockchain vai garantir a rastreabilidade de tudo que acontece na rede. “Não é que [dados] não podem ser alterados, mas para isso acontecer, outra transação [na rede blockchain] será feita e as duas vão ficar registradas. Sobre o direito de ser esquecido, previsto na LGPD, você pode eliminar um registro de um bloco e o que fica dentro dele é o hash utilizado para fazer a gravação do registro original. Essa alteração também fica registrada dentro da rede.”

Assis ainda vê o setor financeiro como o mais disruptivo por “ser um early adopter (expressão sobre pessoas e empresas que experimentam testar algo em primeira mão) da tecnologia, mais que outras indústrias”. O sistema bancário, segundo a executiva, utiliza redes de trocas antigas, com décadas de uso e que “estão chegando a um limite de atualização, escalabilidade e eficiência de custo.”

“Os bancos podem se beneficiar muito com o uso do blockchain. Ele garante modernização e transformação do modelo de negócio dessas empresas e garante agilidade dos processos e eficiência para o usuário. O setor precisa se adaptar à velocidade que o mundo opera hoje e, quanto mais cedo os bancos incorporarem o blockchain, vão entender que a tecnologia não é uma ameaça, mas uma oportunidade”, finalizou Assis.


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

iot em servicos financeiros Conectividade

Bancos prospectam IoT em serviços financeiros

Combinação de dispositivos inteligentes e conectividade 5G abre novas possibilidades, que ainda precisam passar pelo crivo do mercado

multicloud hibrida Conectividade

Empresas melhoram resultados com uso de multicloud híbrida

Explorar os diferenciais de funcionalidades e custos dos provedores implica novas abordagens de gerenciamento e tomada de decisão

satelite da embratel Conectividade

Cindactas da Força Aérea vão usar comunicação satelital da Embratel

Comando da Aeronáutica contrata serviços na Banda C, com satélite Star One C3

baixa conectividade significativa Conectividade

Brasil tem maioria da população com baixa conectividade significativa

Levantamento do Cetic.br/NIC.br apontou que os brasileiros tem deficiências no acesso, no uso e na apropriação da rede