fraudes digitais

Fraudes digitais podem gerar R$ 500 bilhões em prejuízos

2 minutos de leitura

Cuidado com áreas vulneráveis e pouco visíveis, como o marketing, podem reduzir os prejuízos



Por Redação em 24/05/2023

O avanço de crimes cibernéticos tem gerado preocupação não somente aos consumidores, mas também às empresas. De acordo com um estudo da Juniper Research, fraudes em anúncios digitais podem gerar prejuízos de R$ 500 bilhões às empresas nos próximos anos, principalmente porque os criminosos estão usando técnicas cada vez mais sofisticadas de inteligência artificial, que imitam e maximizam o comportamento humano. A finalidade é enganar pessoas e empresas anunciantes drenando budgets de mídia, em alguns casos. 

Para Tamirys Collis, gerente de marketing LATAM da TrafficGuard, o ponto-chave é que as equipes de segurança geralmente pensam em como combater cibercrimes com estratégias-macro, deixando passar áreas mais vulneráveis das empresas, como o marketing, por exemplo.

Em declaração oficial, conforme noticiou a TI Inside, Tamirys destacou o fato de haver o direcionamento de investimentos em sistemas, firewalls, autenticação em dois fatores, criptografia e na prevenção de intrusões para combater fraudes digitais. No entanto, o tráfego digital inválido custa às empresas cerca de US$ 100 bilhões (R$ 500 bilhões).

Prevenção como alternativa

De acordo com Collis, no caso das marcas que investem em mídia online, é essencial fazer o monitoramento constante e a prevenção de tráfego inválido nos anúncios digitais. Além do desgaste financeiro, as empresas vítimas dessas fraudes perdem em desempenho, estratégias de growth e aquisição de novos usuários.

Leia também:

– 5G e LTE: existem diferenças entre essas duas tecnologias? 

Nesse sentido, sem o conhecimento necessário para a otimização de campanhas online, empresas correm o risco de ser direcionadas para estratégias que utilizam cliques fraudulentos, por exemplo. Como resultado ocorrem baixa conversão, tráfego inválido e receitas cada vez menores. 

A automatização (robôs) também pode oferecer riscos às empresas. Da mesma forma que a tecnologia pode ser utilizada para otimizar, com más intenções, pode causar danos às empresas e aos consumidores. 

Segundo Tamirys, o índice de fraudes em anúncios digitais aumentou 300% em quatro anos. Os cibercriminosos usam bots, fazendas de cliques e outros métodos fraudulentos que imitam o comportamento humano, contabilizando cliques, impressões e até conversões de anúncios, gerando, entre outras consequências, um arcabouço de dados poluídos.


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

carlos eduardo gabriel Estratégia

Citi avança no uso de inteligência artificial

Com Centro de Excelência em Inteligência Artificial (CoE), o banco conduz estratégia para aprimorar práticas e adoção da tecnologia, explica especialista de dados da instituição

relatorios esg Estratégia

Relatórios ESG obrigatórios ganham protagonismo

Empresas de capital aberto vão precisar se adaptar à regulação, que começa em 2026

regulamentação ia Estratégia

UE aprova regulamentação do uso da IA

A União Europeia é pioneira com o projeto de lei original, apresentado pela primeira vez em abril de 2021

ciberataques na nuvem Estratégia

Ciberataques na nuvem se tornam mais frequentes e perigosos

Relatório da CrowdStrike revela que esse tipo de ataque cresceu em 75% dos casos em 2023