edge computing no Brasil

Internet das coisas impulsiona o edge computing no Brasil

< 1 minuto de leitura

Pesquisa mostra que a IoT é o principal motivador para que as empresas de telecom invistam em edge computing no Brasil



Por Redação em 22/04/2022

Os projetos de internet das coisas são os principais motivadores para as empresas de telecomunicações investirem em edge computing (computação de borda) no Brasil, segundo uma pesquisa da empresa de aplicações de segurança F5. De acordo com o levantamento, 88% das operadoras de telecom planejam ou já estão investindo na tecnologia neste ano.

A Embratel explica que, por ser uma estrutura computacional distribuída, o edge computing faz com que o armazenamento e o processamento de dados ocorram próximos ao local de captura das informações. Isso reduz a latência, que é a quantidade de milissegundos que uma solicitação leva para ir de uma ponta a outra.

A pesquisa da F5 foi global e ouviu 68 operadoras, com mais de 10 mil colaboradores cada. Quatro delas eram brasileiras e, enquanto no retrato global a melhora de performance das aplicações foi a principal demanda de investimentos em edge, no Brasil os mercados business to business (B2B) guiam a estratégia. “Em nosso País, o edge computing tem sido visto primeiramente como uma resposta à disseminação de dispositivos IoT. Isso está acontecendo especialmente em serviços públicos (facilities como plantas de energia e água) e em aplicações industriais”, disse Maurício Ribeiro, diretor de vendas para o segmento de services providers da F5 no Brasil.

Segurança em edge precisa ser ampliada

Para a F5, há espaço para melhorias nos investimentos em segurança da camada de edge computing. A empresa avalia que o core das redes 5G tem recebido estudos cuidadosos sobre como proteger a infraestrutura, enquanto os ambientes distribuídos e baseados em edge computing estão mais expostos. “Há casos em que são planejados e implementados sem as devidas precauções de segurança”, pontuou o engenheiro de sistemas da F5 no Brasil, Irineu Costato.



Matérias relacionadas

Inovação

Edge computing habilita o próximo nível do mercado de games

Experiência do setor de games pode ser ampliada com edge computing e processamento de dados em nuvem, mostram especialistas

scott galloway Inovação

Metaverso será mais audível e menos visual, diz Scott Galloway

Para o professor da New York University, Scott Galloway, o metaverso terá, como interface dominante, os aplicativos de voz

BID Fintechs Inovação

Para BID, fintechs são solução para combater informalidade

As fintechs contribuem para a inclusão digital e isso, consequentemente, é uma forma de combater a informalidade nas transações financeiras

Inovação

Infraestrutura da Embratel habilita 5G em sala cirúrgica robótica

Primeiro hospital público do Brasil a usar cirurgia robótica utiliza infraestrutura da Embratel; projeto deve ser iniciado ainda no primeiro semestre deste ano