computacao em nuvem

Mercado de computação em nuvem impulsiona novas tecnologias

2 minutos de leitura

Apesar de estar em estágio de amadurecimento, de acordo com especialistas, o mercado de nuvem deve crescer ainda mais



Por Redação em 13/11/2023

O mercado de computação em nuvem (cloud) está em plena ascensão no Brasil e já vem provocando uma mudança e tanto, ao facilitar o acesso a soluções e serviços disruptivos. De acordo com Marlísio Campos, sócio da Deloitte, a previsão é de que nos próximos dez anos, 80% dos dados estejam na nuvem. “Desde 2020, a capacidade computacional da nuvem superou os datacenters”, disse ele. O fato é que há a tendência de que a computação em nuvem impulsione novas tecnologias disruptivas e o uso de 5G.

O mercado evolui com aplicações diferenciadas, o que inclui desde a coleta de até produtos mais complexos, que gerenciam a infraestrutura com nuvem pública, privada, dispositivos IoT (internet das coisas), inteligência artificial (IA) e conexão via redes 5G.

A chamada meta cloud é que permite criar camadas de abstração, que reduzem a complexidade e facilitam o acesso às informações e aos dados. Para Diuliana França, diretora de serviços cloud B2B da Embratel, “o usuário interage com essa camada de orquestração, que contribui para aprimorar o gerenciamento do complexo ambiente das empresas”. Segundo ela, o produto está no portfólio da empresa e deverá ser lançado em breve. Contudo, está recebendo atualização e deve abranger o conceito de meta cloud.

Apesar de estar em um estágio de amadurecimento, de acordo com especialistas, o mercado de nuvem deve crescer ainda mais, principalmente na esfera governamental. “O governo ainda é um pouco reativo e a vanguarda tecnológica é maior no setor privado. Em médio prazo, o cenário tende a mudar e o Brasil terá um grande papel em iniciativas para minimizar o impacto ao meio ambiente, por exemplo”, apontou Campos. 

Para a diretora da Embratel, a burocracia ainda pede que algumas coisas aconteçam de forma mais rápida. 

Computação em nuvem impulsiona uso de rede 5G

A Embratel instalou, em parceria com o Complexo Industrial Portuário de Suape, em Recife (PE), uma solução de vídeo analytics que, conectada à rede 5G da Claro, otimiza a logística dos veículos em pátio, no porto. Trata-se de uma evolução dos sistemas edge computing que contempla o monitoramento de entrada e saída do alto fluxo e a localização exata dos veículos durante o deslocamento. 

computação na nuvem
Foto: Reprodução/ Site do Complexo Industrial Portuário de Suape 

As câmeras fazem a leitura da tag de cada carro, utilizando inteligência artificial. Além disso, coleta o número do chassi de cada veículo. O dado fica registrado em uma plataforma, com o horário de chegada, a vaga onde ficou parado, entre outros.

Segundo Fernando Penna, gerente de desenvolvimento de negócios em nuvem da Huawei Brasil, o atual momento favorece a evolução de “Tudo na Nuvem”. “É a melhor alternativa para armazenar e monitorar dados em escala. O modelo de negócios do ‘everything as a service’ está na essência da computação em cloud”, explicou Penna.

A conexão de rede 5G é essencial para manter a comunicação em tempo real com as aplicações em nuvem. Para manter o sistema em pleno funcionamento, é preciso também ressaltar a importância de investimento contínuo em camadas de segurança e cibersegurança nos sistemas multicloud.


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

hiperpersonalizacao fidelidade Estratégia

A hiperpersonalização é o próximo nível no mercado de fidelidade

Para Fernanda Barchese, da Livelo, a hiperpersonalização permitirá o acompanhamento da jornada do cliente e as escolhas das melhores recompensas

instituicoes Estratégia

Inteligência artificial eleva o poder das instituições  

Para Tania Cosentino, da Microsoft, em pouco tempo não viveremos mais sem a inteligência artificial

Estratégia

Especialista defende ‘Cloud First’ diante da digitalização dos negócios

Segundo episódio da terceira temporada da websérie da Embratel, com Silvio Meira, debate o papel da migração das empresas para a nuvem

omnichannel Estratégia

Omnichannel: qual o próximo passo?

Para Amanda Andreone, a oferta ao cliente baseada em insights e dados é o grande caminho