mineracao digital

Mineração digital amplia lucros e perspectivas 

3 minutos de leitura

Inteligência artificial, internet das coisas e outras tecnologias avançadas podem aumentar rendimento e reduzir custos na indústria mineral



Por Redação em 24/03/2023

A transição energética será um processo de uso intensivo de metais, conforme aponta a reportagem da revista Brasil Energia. Sem elementos como lítio, cobre e terras raras, entre outros, não é possível avançar na adoção de fontes renováveis, como parques de energia eólica, tampouco ter um smartphone. Na mão inversa, a própria mineração precisou avançar no uso de soluções digitais, e um dos divisores de água nesse sentido foi a pandemia de Covid-19.  

Segundo o relatório “A acelerada transformação da mineração”, produzido pela consultoria Accenture, a Covid-19 reforçou a necessidade de uma transformação digital completa na mineração e de maiores oportunidades para diversificar a força de trabalho, visando preparar melhor o setor para a escassez cíclica de competências.

Mineração digital amplia resultados financeiros

mineracao digital

O documento lembra que antes da pandemia os drones já faziam a vigilância das minas e os caminhões autônomos transportavam o minério. A Covid-19, no entanto, pressionou as empresas a levarem a transformação digital mais além, desenvolvendo novas maneiras de ganhar eficiência em um momento em que menos trabalhadores podem trabalhar localmente. Por exemplo, novos centros de operação remota agora permitem que a equipe supervisione mais funções à distância.

O processo envolve, inclusive, mudanças de capital humano, pois algumas ocupações em campo poderão ser substituídas pelo monitoramento remoto. “Especialmente no Brasil, a implementação de minas autônomas e de Centros de Monitoramento de Operações Remotas ainda não é uma realidade em todas as mineradoras. Muitas empresas têm essas iniciativas em seus roadmaps de transformação, porém, serão concretizadas apenas no longo prazo”, destaca o relatório.

A publicação especializada Mining Digital Magazine resumiu várias das tendências tecnológicas que tem tomando conta do setor mineral, baseando-se em outro levantamento, desta vez realizado pela McKinsey e que identifica como a implantação de novas tecnologias pode aumentar o rendimento, ampliar a segurança e reduzir os custos da indústria mineral. 

Segundo a consultoria, uma abordagem integrada e focada na execução pode ajudar as mineradoras a obter uma melhoria de 5% a 15% no EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização). Boa parte das inovações está diretamente ligada ao chamado TIC, sigla para soluções de telecomunicações e tecnologia da informação. 

As duas primeiras tendências têm sido bastante divulgadas pela indústria mineral e são o uso de caminhões autônomos e do sensoriamento com base na Internet das Coisas (IoT). De acordo com a McKinsey, os veículos autônomos reduziram o uso de combustível entre 10% e 15%, melhorando assim o desempenho ambiental em 13% e tornando os locais e áreas locais menos perigosos. 

Caminhões autônomos

mineracao digital

De janeiro a maio de 2022, o número de caminhões autônomos em operação globalmente aumentou de 769 para 1.068, de acordo com a GlobalData. A Austrália tem o maior número de caminhões autônomos em operações, com 706 veículos espalhados em 25 minas, enquanto a Caterpillar e a Komatsu são os dois principais fornecedores de veículos autônomos, respondendo por 86,5% de participação de mercado.

Na área de sensores IoT, as pesquisas da McKinsey mostraram que o uso de sensores combinados com um repositório de dados centralizado e aprendizado de máquina avançado tem resultados concretos e aumentou a recuperação química do processo de extração de 10% a 15% em uma das minas avaliadas pela consultoria. Os sensores IoT fornecem dados em tempo real sobre localização, integridade do equipamento, vida útil restante e outros parâmetros úteis, que são atualizados no software de rastreamento para visualização de gerenciamento de qualquer lugar.

IoT e Machine learning

E não é só a operação que ganha com o uso de tecnologias inovadoras. As melhorias acontecem também nas atividades de manutenção preditiva de ativos, cuja abordagem é baseada na detecção de anomalias e que incorpora o agrupamento de dados de detecção e análise, com a intenção de prever a confiabilidade da máquina. 

A coleta de dados de sensores de IoT ajuda as empresas de mineração a entender a condição de cada ativo em tempo real, ajudando a prever tempos de falha e a usar a manutenção baseada em condições para reduzir custos, aumentar a utilização e prolongar a vida útil dos equipamentos.

O aprendizado de máquina também pode ser aplicado no segmento e a Mining Digital Magazine cita o caso da mineradora que usou sensores e aprendizado de máquina para implementar a manutenção preditiva em sua frota. O modelo foi capaz de prever quando os componentes falhariam, permitindo um aumento de mais de 50% na vida útil dos principais componentes. 

IA e previsibilidade na mineração digital

Mesmo a Inteligência Artificial (IA), que pode parecer distante de um ambiente árido como a mineração, tem sido uma tecnologia recorrente dessa indústria. No futuro próximo as previsões indicam que as empresas do setor deverão mudar sua operação no dia a dia, aposentando o uso de modelos empíricos nas tomadas de decisões e assumindo a AI como recurso.

Outra mudança é a transição de um planejamento de produção rígido e com orçamentos de longo prazo para outro cenário, com planejamento de horizonte curto de duas semanas e maior agilidade em toda a cadeia de valor. A McKinsey estima que, até 2035, a era da mineração digital será alcançada por meio da mineração autônoma, usando análise de dados e tecnologias como IA. Mas não se trata apenas de inovação e sim de negócios: as economias previstas poderão oscilar entre US$ 290 bilhões e US$ 390 bilhões anualmente para os produtores de matérias-primas minerais.



Matérias relacionadas

hackers de yale Inovação

Hackers de Yale estão cada vez mais interessados em medicina preventiva

Além da Yale, outras 19 instituições de ensino estavam representadas para estudar o tema

robo pianista Inovação

Robô pianista é criado por estudantes brasileiros

O PianoBot foi desenvolvido por quatro alunos de Engenharia Mecatrônica do Insper

chips de ia Inovação

Tendência: o mundo precisará de mais chips de IA em 2024

Materiais são usados ​​no desenvolvimento e disponibilização de modelos de inteligência artificial

porto maravalley Inovação

Rio de Janeiro cria hub tecnológico Porto Maravalley

Presença de startups e curso superior do IMPA, dentre outras inovações, trarão novas oportunidades à zona portuária do Rio de Janeiro