nuvem seguranca

Nuvem e Inteligência Artificial trazem avanços na segurança da informação

< 1 minuto de leitura

Relatório da Brasscom mostra que ajustes nas práticas de segurança cibernética em ambientes de nuvem são um dos principais desafios dos gestores de TI



Por Redação em 20/07/2022

Uma das consequências da transformação digital tem sido o aumento de riscos cibernéticos. Segundo relatório da Associação de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais (Brasscom), o Brasil sofreu mais de 16,2 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos na  primeira metade de 2021, sendo o  5º maior alvo de crimes digitais no mundo nesse período.

O estudo aponta que o uso de tecnologias como nuvem e Inteligência Artificial (IA) devem trazer fortes avanços para garantir a segurança. “Enquanto a nuvem democratizou o acesso à segurança, a IA atua aumentando a  capacidade de responder, dinamicamente, a incidentes”, destaca o material. 

Essas soluções podem detectar a invasão e diminuir o tempo de permanência –  período de tempo que um invasor cibernético tem domínio livre em um ambiente. Segundo a Brasscom, em dezembro de 2019, na Europa, o tempo  de permanência era de cerca de 177 dias, e invasores foram descobertos em apenas 44%  dos casos, devido à violação de dados ou outros problemas. Utilizando técnicas de IA, o  tempo de permanência foi drasticamente reduzido.   

Mudança de cultura e gestão de riscos

Além de tecnologias para promover a segurança, a Brasscom também destaca a importância de as organizações promoverem uma mudança cultural. O relatório ressalta que as vulnerabilidades são, muitas vezes, decorrentes de mau uso dos recursos e, por isso, é necessário que as empresas invistam em informação, educação, esclarecimento e treinamentos para funcionários.

Outro ponto fundamental é a adoção de boas práticas de governança para gestão de riscos. Isso inclui  infraestrutura, políticas e metodologias, considerando a tecnologia disponível e a dimensão dos possíveis danos. De acordo com o estudo, as estratégias de segurança da informação deverão receber investimentos de R$ 46,7 bilhões entre 2022 e 2025, com uma taxa de crescimento de 10% ao ano.


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

hiperpersonalizacao fidelidade Estratégia

A hiperpersonalização é o próximo nível no mercado de fidelidade

Para Fernanda Barchese, da Livelo, a hiperpersonalização permitirá o acompanhamento da jornada do cliente e as escolhas das melhores recompensas

instituicoes Estratégia

Inteligência artificial eleva o poder das instituições  

Para Tania Cosentino, da Microsoft, em pouco tempo não viveremos mais sem a inteligência artificial

Estratégia

Especialista defende ‘Cloud First’ diante da digitalização dos negócios

Segundo episódio da terceira temporada da websérie da Embratel, com Silvio Meira, debate o papel da migração das empresas para a nuvem

omnichannel Estratégia

Omnichannel: qual o próximo passo?

Para Amanda Andreone, a oferta ao cliente baseada em insights e dados é o grande caminho