selo para cidades inteligentes

Plataforma cria selo para cidades inteligentes no Brasil

2 minutos de leitura

Ferramenta funcionará para reconhecer boas práticas, além de incentivar o desenvolvimento de smarts cities



Por Paulo Carvalho em 07/10/2022

A plataforma Connected Smart Cities criou um selo de autenticidade para identificar boas práticas em cidades inteligentes. A ferramenta, desenvolvida em parceria com a Spin e a Urban Systems, avaliará fatores como governança e planejamento de smart cities brasileiras e foi apresentada durante o Evento Nacional Connected Smart Cities & Mobility, realizado entre 4 e 6 de outubro em São Paulo.

O selo foi concebido para apoiar iniciativas que refletem na evolução de smart cities, além de acompanhar mudanças na mobilidade urbana nesses locais. Chamado Selo Connected Smart Cities, ele consiste em avaliar seis níveis de desenvolvimento.

Além de governança e planejamento da cidade inteligente, o selo levará em conta índices como ecossistema de avaliação, maturidade para parcerias e planejamento de infraestruturas e serviços de tecnologia da informação e comunicação.

Outro fator que será considerado pela ferramenta é o posicionamento dessas cidades em edições anteriores do Ranking Connected Smart Cities. Dessa forma, o ranking terá um peso determinante na distribuição do Selo Connected Smart Cities.

Selo para cidades inteligentes no Brasil

O Selo Connected Smart Cities é distribuído através da avaliação de cidades inteligentes no Brasil. Para participar, as cidades se inscreveram por um formulário disponibilizado pela própria plataforma.

As inscrições foram realizadas até o dia 20 de setembro de 2022, sendo que o resultado foi divulgado durante o Evento Nacional Connected Smart Cities & Mobility. As prefeituras das cidades que receberam o selo foram convidadas para o evento da plataforma e uma publicação recente revelou o novo Ranking Connected Smart Cities para 2022.

Ranking de smart cities

O Ranking Connected Smart Cities chega em sua oitava edição em 2022. Com três dias de programação, nesta quinta-feira (6) as atividades do encontro acontecem de forma online.

O Evento Nacional Connected Smart Cities & Mobility foi realizado em conjunto com o AirConnected e o Connected Urban Air Mobility. Com o resultado do ranking divulgado, Curitiba (PR) ocupa o primeiro lugar da lista levando em consideração cidades brasileiras com mais de 500 mil habitantes.

Na faixa de 100 mil a 500 mil habitantes, Vitória (ES) alcançou o primeiro lugar no ranking, enquanto Jaguaríuna (SP) é a líder na lista que considera apenas locais com 50 mil a 100 mil habitantes.

Outras cidades se destacaram de acordo com eixos temáticos como Santos (SP), que ficou em primeiro lugar em urbanismo. São Paulo está no topo da lista no que diz respeito à mobilidade e acessibilidade, além do eixo de economia.

Já nos quesitos meio ambiente e governança, é Balneário Camboriú (SC) que ocupa a primeira colocação. Curitiba (PR) ficou no primeiro lugar em empreendedorismo e Fortaleza (CE) em tecnologia e inovação.

Por fim, a cidade de Belo Horizonte (MG) aparece no topo da lista no eixo temático de saúde e, em segurança e educação, a cidade de São Caetano do Sul (SP) é quem lidera o ranking.


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

fraudes bancarias Estratégia

Tentativas de fraudes bancárias evitadas chegam a R$ 766 milhões no Brasil

Aumento do ticket médio é o que mais assusta em levantamento da ClearSale

hiperpersonalizacao fidelidade Estratégia

A hiperpersonalização é o próximo nível no mercado de fidelidade

Para Fernanda Barchese, da Livelo, a hiperpersonalização permitirá o acompanhamento da jornada do cliente e as escolhas das melhores recompensas

instituicoes Estratégia

Inteligência artificial eleva o poder das instituições  

Para Tania Cosentino, da Microsoft, em pouco tempo não viveremos mais sem a inteligência artificial

Estratégia

Especialista defende ‘Cloud First’ diante da digitalização dos negócios

Segundo episódio da terceira temporada da websérie da Embratel, com Silvio Meira, debate o papel da migração das empresas para a nuvem