Quais serão as tendências de nuvem pública em 2021

Quais serão as tendências de nuvem pública em 2021?

3 minutos de leitura

Plataforma como Serviço (PaaS) é uma das tendências de nuvem pública em 2021 que terá maior destaque nas empresas, acredita a Gartner.



Por Redação em 02/12/2020

Plataforma como Serviço (PaaS) é uma das tendências de nuvem pública em 2021 que terá maior destaque nas empresas, acredita a Gartner.

Qual segmento de nuvem pública será tendência nas empresas em 2021? Apesar de Software como Serviço(SaaS) representar os maiores gastos das companhias, a Plataforma como Serviço (PaaS) terá destaque no próximo ano, segundo a consultoria Gartner.

No fim de novembro, a consultoria divulgou as previsões dos gastos em nuvem pública para 2021. O segmento PaaS é o que terá maior crescimento – uma margem superior a 26%, acredita a Gartner, saltando de US$ 43 milhões para US$ 55 milhões.

Esse aumento no consumo de serviços de plataformas em nuvem será impulsionado justamente pelo home office. Neste ano, com a pandemia do novo coronavírus, muitas empresas precisaram enviar seus colaboradores para casa.

Passada a fase de reestruturação e adaptação a esse modelo de trabalho, que exigiu a contratação de aplicativos em nuvem e outras tecnologias, agora as empresas possuem um novo desafio: garantir uma infraestrutura de alto desempenho e escalonável para essas aplicações.

“A capacidade de usar modelos de nuvem escalonáveis ​​sob demanda para obter eficiência de custos e continuidade de negócios está proporcionando uma mudança repentina para que as organizações acelerem rapidamente seus planos de transformação digital”, destaca Sid Nag, vice-presidente de pesquisa da Gartner.

Para o executivo, “o aumento do uso de serviços de nuvem pública reforçou a adoção da nuvem como o ‘novo normal’, agora mais do que nunca.”

As tendências de nuvem pública para 2021?

No relatório da Gartner, os gastos globais em serviços de nuvem pública devem crescer 18,4% em 2021 – um total de US$ 304,9 bilhões ante US$ 257,5 bilhões em 2020. “A pandemia validou a proposta de valor da nuvem”, acredita Sid Nag.

Tanto que a adoção de vários serviços de nuvem pública vai impactar no orçamento de TI. A Gartner projeta que os gastos na tecnologia vão representar 14,2% do orçamento das empresas. Em 2020, esse número foi apenas 9,1%.

As previsões de gastos em serviços de nuvem pública para 2021 são:

  • Processo de Negócios como Serviço (BPaaS): de US$ 44.741 milhões (2020) para US$ 47.521 milhões (2021).
  • Plataforma como Serviço (PaaS): de US$ 43.823 milhões (2020) para US$ 55.486 milhões (2021).
  • Software como Serviço (SaaS): de US$ 101.480 milhões (2020) para US$ 117.773 milhões (2021).
  • Serviços de gerenciamento e segurança em nuvem: de US$ 14.880 milhões (2020) para US$ 17.001 milhões (2021).
  • Infraestrutura como Serviço (IaaS): de US$ 51.421 milhões (2020) para US$ 65.264 milhões (2021).
  • Desktop como Serviço (DaaS): de US$ 1.204 milhão (2020) para US$ 1.945 milhão (2021).

À medida que as empresas aumentam os investimentos em mobilidade, colaboração e outras tecnologias e infraestrutura de trabalho remoto, a Gartner espera que o crescimento na nuvem pública seja sustentado até 2024.

Outra tendência de nuvem pública é a parceria crescente entre provedores de serviços de nuvem com empresas de telecomunicações. Essa força conjunta de trabalho tem levado a computação em nuvem para a borda, possibilitando um maior crescimento da tecnologia no mercado.

O que as empresas aprenderam com a nuvem em 2020?

De acordo com a Gartner, a pandemia de COVID-19 exigiu que as organizações reorganizassem rapidamente suas estratégias com base em três pilares:

  1. Preservar o dinheiro e otimizar os custos de TI.
  2. Apoiar e garantir a força de trabalho remota.
  3. Criar resiliência.

Para a consultoria, quase 70% das organizações que usam serviços em nuvem hoje planejam aumentar seus gastos com nuvem na esteira da interrupção causada pelo COVID-19. “Investir na nuvem tornou-se um meio conveniente de atender a todas essas três necessidades”, diz Sid Nag.

Como citado no início do texto, o momento agora é de continuidade dos negócios. Líderes de TI já entendem a importância de um pensamento estratégico sobre como os serviços em nuvem pública vão desempenhar um grande papel nas organizações futuramente.

As empresas estão mudando para o digital ou aprimorando seus processos e operações nesse ambiente. “A adoção da nuvem, portanto, torna-se um meio significativo de se manter à frente em um mundo pós-COVID-19 focado em agilidade e pontos de contato digitais”, finaliza Sid.

Principais destaques desta matéria

  • Plataforma como Serviço (PaaS) é uma das tendências de nuvem pública para 2021.
  • Este segmento deve crescer 26% no próximo ano.
  • Parceria entre provedores de serviços de nuvem pública e empresas de telecomunicação pode aumentar ainda mais o mercado da tecnologia.

Gestão de dados é determinante para eliminar gargalos dos call centers

Saiba mais


Matérias relacionadas

iot em servicos financeiros Conectividade

Bancos prospectam IoT em serviços financeiros

Combinação de dispositivos inteligentes e conectividade 5G abre novas possibilidades, que ainda precisam passar pelo crivo do mercado

multicloud hibrida Conectividade

Empresas melhoram resultados com uso de multicloud híbrida

Explorar os diferenciais de funcionalidades e custos dos provedores implica novas abordagens de gerenciamento e tomada de decisão

satelite da embratel Conectividade

Cindactas da Força Aérea vão usar comunicação satelital da Embratel

Comando da Aeronáutica contrata serviços na Banda C, com satélite Star One C3

baixa conectividade significativa Conectividade

Brasil tem maioria da população com baixa conectividade significativa

Levantamento do Cetic.br/NIC.br apontou que os brasileiros tem deficiências no acesso, no uso e na apropriação da rede