Quais serão as tendências de nuvem pública em 2021

Quais serão as tendências de nuvem pública em 2021?

3 minutos de leitura

Plataforma como Serviço (PaaS) é uma das tendências de nuvem pública em 2021 que terá maior destaque nas empresas, acredita a Gartner.



Por Redação em 02/12/2020

Plataforma como Serviço (PaaS) é uma das tendências de nuvem pública em 2021 que terá maior destaque nas empresas, acredita a Gartner.

Qual segmento de nuvem pública será tendência nas empresas em 2021? Apesar de Software como Serviço(SaaS) representar os maiores gastos das companhias, a Plataforma como Serviço (PaaS) terá destaque no próximo ano, segundo a consultoria Gartner.

No fim de novembro, a consultoria divulgou as previsões dos gastos em nuvem pública para 2021. O segmento PaaS é o que terá maior crescimento – uma margem superior a 26%, acredita a Gartner, saltando de US$ 43 milhões para US$ 55 milhões.

Esse aumento no consumo de serviços de plataformas em nuvem será impulsionado justamente pelo home office. Neste ano, com a pandemia do novo coronavírus, muitas empresas precisaram enviar seus colaboradores para casa.

Passada a fase de reestruturação e adaptação a esse modelo de trabalho, que exigiu a contratação de aplicativos em nuvem e outras tecnologias, agora as empresas possuem um novo desafio: garantir uma infraestrutura de alto desempenho e escalonável para essas aplicações.

“A capacidade de usar modelos de nuvem escalonáveis ​​sob demanda para obter eficiência de custos e continuidade de negócios está proporcionando uma mudança repentina para que as organizações acelerem rapidamente seus planos de transformação digital”, destaca Sid Nag, vice-presidente de pesquisa da Gartner.

Para o executivo, “o aumento do uso de serviços de nuvem pública reforçou a adoção da nuvem como o ‘novo normal’, agora mais do que nunca.”

As tendências de nuvem pública para 2021?

No relatório da Gartner, os gastos globais em serviços de nuvem pública devem crescer 18,4% em 2021 – um total de US$ 304,9 bilhões ante US$ 257,5 bilhões em 2020. “A pandemia validou a proposta de valor da nuvem”, acredita Sid Nag.

Tanto que a adoção de vários serviços de nuvem pública vai impactar no orçamento de TI. A Gartner projeta que os gastos na tecnologia vão representar 14,2% do orçamento das empresas. Em 2020, esse número foi apenas 9,1%.

As previsões de gastos em serviços de nuvem pública para 2021 são:

  • Processo de Negócios como Serviço (BPaaS): de US$ 44.741 milhões (2020) para US$ 47.521 milhões (2021).
  • Plataforma como Serviço (PaaS): de US$ 43.823 milhões (2020) para US$ 55.486 milhões (2021).
  • Software como Serviço (SaaS): de US$ 101.480 milhões (2020) para US$ 117.773 milhões (2021).
  • Serviços de gerenciamento e segurança em nuvem: de US$ 14.880 milhões (2020) para US$ 17.001 milhões (2021).
  • Infraestrutura como Serviço (IaaS): de US$ 51.421 milhões (2020) para US$ 65.264 milhões (2021).
  • Desktop como Serviço (DaaS): de US$ 1.204 milhão (2020) para US$ 1.945 milhão (2021).

À medida que as empresas aumentam os investimentos em mobilidade, colaboração e outras tecnologias e infraestrutura de trabalho remoto, a Gartner espera que o crescimento na nuvem pública seja sustentado até 2024.

Outra tendência de nuvem pública é a parceria crescente entre provedores de serviços de nuvem com empresas de telecomunicações. Essa força conjunta de trabalho tem levado a computação em nuvem para a borda, possibilitando um maior crescimento da tecnologia no mercado.

O que as empresas aprenderam com a nuvem em 2020?

De acordo com a Gartner, a pandemia de COVID-19 exigiu que as organizações reorganizassem rapidamente suas estratégias com base em três pilares:

  1. Preservar o dinheiro e otimizar os custos de TI.
  2. Apoiar e garantir a força de trabalho remota.
  3. Criar resiliência.

Para a consultoria, quase 70% das organizações que usam serviços em nuvem hoje planejam aumentar seus gastos com nuvem na esteira da interrupção causada pelo COVID-19. “Investir na nuvem tornou-se um meio conveniente de atender a todas essas três necessidades”, diz Sid Nag.

Como citado no início do texto, o momento agora é de continuidade dos negócios. Líderes de TI já entendem a importância de um pensamento estratégico sobre como os serviços em nuvem pública vão desempenhar um grande papel nas organizações futuramente.

As empresas estão mudando para o digital ou aprimorando seus processos e operações nesse ambiente. “A adoção da nuvem, portanto, torna-se um meio significativo de se manter à frente em um mundo pós-COVID-19 focado em agilidade e pontos de contato digitais”, finaliza Sid.

Principais destaques desta matéria

  • Plataforma como Serviço (PaaS) é uma das tendências de nuvem pública para 2021.
  • Este segmento deve crescer 26% no próximo ano.
  • Parceria entre provedores de serviços de nuvem pública e empresas de telecomunicação pode aumentar ainda mais o mercado da tecnologia.


Matérias relacionadas

Conectividade

Londres lança política de inclusão digital para conectar um quarto da população

Quase 2 milhões de londrinos têm acesso limitado à Internet, enquanto 3% não tem nenhum acesso. Programa social visa atacar esse déficit.

Conectividade

Internet avança nas áreas rurais do Brasil

Segundo a pesquisa TIC Domicílios 2021, o uso de internet no país aumentou durante a pandemia, em todas as regiões, embora a conectividade no campo ainda seja menor

Conectividade

Assinaturas 5G podem chegar a 4,4 bilhões até 2027, segundo Ericsson

Número de assinaturas 5G já chegou a 1 bilhão no mundo e a percepção é que a nova tecnologia está avançando mais rápido que as antecessoras

conexao 5g Conectividade

Claro inaugura serviço de 5G+ em Brasília

A capital do Distrito Federal será a primeira a ter o serviço de 5G+ na faixa de 3,5 GHz da Claro, habilitando melhores experiências aos seus clientes