redes privativas

Redes privativas serão predominantemente locais, segundo especialista

< 1 minuto de leitura

Especialista da Claro defende que redes privativas serão predominantemente locais.



Por Redação em 01/02/2023

Essa é a avaliação de Luiz Fernando Bourdot, diretor de evolução de tecnologias de rede da Claro. Para ele, a tendência se explica, entre outras coisas, pela ampliação da computação de borda (edge computing), que descentraliza o processamento das operadoras de telecomunicações e as deixa mais próximas de seus clientes.

“O advento de redes privativas é alavancador para fazer isso chegar mais próximo do usuário, para a aplicação mais específica”, argumentou o executivo durante o evento Teletime Tec – Redes & Infra, promovido pelo site Teletime.

Segundo Bourdot, o maior gargalo é a automação de toda a infraestrutura para permitir esse processo de levar a computação mais próxima. Isso afeta, inclusive, aplicações de fatiamento de rede, “uma promessa do 5G que se concretiza com alto grau de automação da rede”. Ele considera que é necessário a modernização do backoffice, trazendo suporte a diferentes gerações.

O especialista da Claro também defendeu que há situações nas quais a conexão satelital acaba sendo complementar em relação às redes privativas. Ele citou como exemplo a infraestrutura implantada em mineradoras, que possuem frotas automatizadas de caminhões gigantes, entre outras características.


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

ransomware Estratégia

Aumenta o número de vítimas de ransomware

Mais de 70% das organizações globais já foram assediadas por ransomware e tiveram consequências financeiras

politica nacional de ciberseguranca Estratégia

Política Nacional de Cibersegurança entra em vigor no Brasil

Entre os objetivos detalhados do decreto está prevista a regulação, fiscalização e controle para aprimorar a segurança e a resiliência cibernética nacional

computacao em nuvem Estratégia

Computação em nuvem pode gerar economia de US$ 3 trilhões até 2030

Relatório da consultoria McKinsey aponta melhorias que a tecnologia vai agregar

golpes digitais cresceram Estratégia

Golpes digitais cresceram 35% em 2023

Os golpes bancários ainda lideram a lista por segmentos, no Brasil