porto maravalley Foto: Reprodução/ Porto Maravilha via Facebook

Rio de Janeiro cria hub tecnológico Porto Maravalley

3 minutos de leitura

Presença de startups e curso superior do IMPA, dentre outras inovações, trarão novas oportunidades à zona portuária do Rio de Janeiro



Por Redação em 09/02/2024

O polo de educação e tecnologia que está sendo instalado na capital carioca, chamado de Porto Maravalley, na região do Porto Maravilha, tem inauguração prevista para abril deste ano (2024).

Em construção desde novembro de 2022, o Porto Maravalley tem como propósito atrair empresas da área de tecnologia, proporcionando oportunidades de trabalho e educação em segmentos ligados à inovação e tecnologia. O MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) participou do processo, estabelecendo diretrizes para o desenvolvimento e aceleração de regiões, por meio do programa Rio Energy Bay (REB). 

Empresas do Porto Maravalley

A ideia do programa é que as startups presentes no local sejam divididas por verticais, sendo que os setores de energia (representados pela Eletrobras e Vibra) e de saúde devem ficar em destaque. Outras verticais previstas estão relacionadas com as vocações do Rio de Janeiro, como economia criativa, audiovisual e turismo, de acordo com o diretor-executivo do REB, Daniel Barros. 

Além do MIT, outras empresas, como Bolder, Sai do Papel, MSW Capital e Co.W Coworking Space também devem estar presentes, sendo que a nomeação será publicada no Diário Oficial do município do Rio de Janeiro.

Além das empresas instaladas na região, o Porto Maravalley também está em busca de fornecedores de tecnologia e de companhias que tenham interesse em patrocinar e manter o hub. 

Tecnologia e inovação

Barros explicou que o objetivo é que o Porto Maravalley seja composto por cinco integrantes: empresas, startups, venture capital, academia e governo. O lado acadêmico está sendo administrado pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), que vai inaugurar seu primeiro curso de graduação totalmente gratuito, em abril, no local. 

A entrega simbólica das chaves do Impa Tech, pelo prefeito Eduardo Paes, aconteceu em 17 de janeiro deste ano. O objetivo é formar 100 alunos no primeiro ano, com investimentos de R$ 16,7 milhões.

porto maravalley
Foto: Reprodução/ Impa Tech

Em entrevista ao Próximo Nível, Marcelo Viana, diretor geral do Impa,  destacou que o curso será oferecido para alunos de outros estados e regiões do país, que tenham obtido bom desempenho na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM). “Para o Impa, esse curso tem relevância estratégica. Já atuamos muito na pós-graduação e entramos, mais recentemente, nas escolas de ensino fundamental, com a Olimpíada Brasileira de Matemática”, explicou, reforçando que a matemática está presente em diferentes situações do nosso dia a dia e, muitas vezes, as pessoas não percebem sua real relevância.

Seleção de empresas do Porto Maravalley

A abertura do processo seletivo para startups residentes deve ser feita em breve, mas até o momento não há data prevista. Já para os candidatos ao curso, o processo seletivo para bacharelado em Matemática da Tecnologia e Inovação, com duração de quatro anos e totalmente gratuito (inclusive com apoio financeiro para residentes de fora do Rio) se encerrou em dezembro de 2023. Nos próximos processos seletivos, os candidatos poderão escolher entre as ênfases em Matemática, Ciência de Dados, Ciência da Computação ou Física.

Vale do Silício brasileiro

porto maravalley
Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

Além de apostar na formação de jovens talentos, o Porto Maravalley oferecerá infraestrutura para a instalação de mais empresas ligadas à tecnologia e inovação. A ideia do projeto é transformar a cidade do Rio em um “Vale do Silício” brasileiro, criando um centro tecnológico capaz de abrigar até 400 startups e fintechs.

Um dos propósitos da iniciativa é gerar novos empregos na região. A previsão dos organizadores é de que entre 5 mil a 10 mil vagas de trabalho sejam criadas nos próximos anos.

O local também pretende abrigar moradias e pode ser considerado a primeira “crypto city” do Brasil. Além de atrair empresas do mercado de criptoativos, a cidade maravilhosa aceitará pagamentos em criptomoedas a partir de 2023, na quitação de tributos como o IPTU.

No total, a estimativa do projeto prevê 13 mil pessoas morando no Porto Maravalley depois da conclusão das obras de instalação. A área construída será de 10 mil metros quadrados.

porto maravalley
Chicão Bulhões (Foto: Beth Santos/ Prefeitura do Rio)

Para Chicão Bulhões, secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação do Rio de Janeiro, o local tem potencial para se transformar no maior polo de educação e tecnologia do país. “O objetivo é que o Porto Maravalley seja o maior hub de inovação e educação do país, reunindo atores do empreendedorismo carioca, corporações mantenedoras, investidores e academia em um só espaço da cidade.”



Matérias relacionadas

inclusao mulheres Inovação

Inclusão das mulheres na liderança também chega ao setor financeiro

Para Marisa Reghini, características femininas como colaboração e visão holística têm muito a contribuir para a evolução do setor como um todo

tendencias digitais Inovação

Sete tendências digitais para a década, segundo Sandy Carter

Executiva da Unstoppable Domains é especialista em web 3.0 e apontou caminhos na recente SXSW

bancos preparacao quantica Inovação

Bancos, indústrias e pesquisadores trabalham na preparação quântica

Tecnologia ainda depende de respostas da ciência básica, mas empresas já buscam antecipar as oportunidades e desafios com computação e comunicação baseadas nas propriedades de partículas elementares

privacidade drex Inovação

BC testa abordagens de privacidade nos pilotos do Drex

Tema é obrigatório para o Banco Central no desenvolvimento da nova moeda digital