fórmula 1

Tecnologias habilitam a Fórmula 1 em São Paulo

3 minutos de leitura

Grande Prêmio brasileiro é um dos mais tecnológicos do mundo e conta com 5G e Wi-Fi 6, além de outras inovações



Por Redação em 14/11/2023

O Grande Prêmio de Fórmula 1 do Brasil (ou GP de São Paulo, como agora é chamado) aconteceu entre os dias  3 e 5 de novembro de 2023 e trouxe mais do que respostas sobre o desempenho dos pilotos e escuderias. Pela segunda vez, a Embratel habilitou a conexão do autódromo com WI-FI 6 e com o 5G, da Claro. Nesta edição, a Embratel também comemorou o 17º ano como fornecedora oficial de tecnologia para o GP, promovendo a evolução digital da competição.

Tecnologias além da telemetria

Segundo Marcello Miguel, diretor executivo de Marketing e Negócios da Embratel. o GP brasileiro é um dos mais tecnológicos do planeta e as novas soluções de conectividade proporcionaram experiências além da telemetria, já largamente utilizada nos últimos anos para gerar insights aos pilotos e escuderias. “Um carro de Fórmula 1 tem mais de 300 sensores, que alimentam o computador de bordo do veículo e transmitem informações em tempo real para as equipes técnicas dos boxes e até das fábricas. Essas informações geram análises em tempo real, inclusive sendo algumas sigilosas das equipes. O fato é que toda essa infraestrutura é habilitada por quilômetros de fibra óptica; informações de torre de controle da aeronáutica, para gestão do alto tráfego de helicópteros; conectividade; tecnologias para a sala de imprensa e outras”, detalhou o executivo. 

Neste ano, assim como em 2022, a Embratel manteve o serviço de interconexão do Autódromo de Interlagos com um data center para trafegar, de forma ágil e estável, o grande volume de dados, mas também forneceu suporte para a transmissão de vídeo com a tecnologia EVSOL (Embratel Vídeo Solução) para a TV Bandeirantes, detentora dos direitos de transmissão do Mundial de F1 do Brasil.

O centro de geração de imagens é equipado com fibra óptica para garantir a alta velocidade e baixa latência da transmissão. “A F1 é um evento com alcance global e, por isso, a comunicação e transmissão de dados possuem papel crucial”, comentou Alan Adler, CEO do GP São Paulo de F1. De acordo com o executivo, o suporte da Embratel proporciona qualidade, eficiência e velocidade na entrega, que são essenciais para o evento. “Ficamos felizes em trabalhar novamente com a Embratel e proporcionar máxima experiência a todos os envolvidos”, disse.

Já o CEO da Embratel, José Formoso, comemorou o fato de a empresa continuar levando inovações para o GP, acompanhada por uma grande torcida mundial de amantes do automobilismo. “A F1 é um importante momento para demonstração dos diferenciais do 5G+ da Claro e de como a Embratel consegue habilitar tecnologias de ponta em eventos e empresas dos mais diversos tipos”, disse.

“Como líder no segmento corporativo e com ampla experiência no fornecimento de soluções para grandes eventos, estamos sempre buscando entregar o que há de mais inovador ao GP”, completou o executivo, destacando que a Embratel vai além do convencional para oferecer serviços sob medida que permitem que os treinos e a corrida sejam compartilhados e experimentados por quem está no autódromo. “Estamos muito orgulhosos em fazer parte mais uma vez deste evento mundial que conecta com tecnologia de ponta fãs, pilotos e equipes”, afirmou Formoso.

Tecnologias habilitam a paixão

Depois de uma temporada ruim do heptacampeão Lewis Hamilton, que culminou no bicampeonato de Max Verstappen (Red Bull Racing) e um possível tricampeonato em 2023, os fãs de Hamilton estão ansiosos para saber se é possível manter expectativas positivas para a temporada de 2024.

Apesar de considerar a pista de Interlagos como sua segunda casa – como já declarou várias vezes – Lewis Hamilton terminou a corrida em oitavo lugar. Ao vencer no ano retrasado na pista, após sair atrás no grid, Hamilton repetiu o gesto do brasileiro Ayrton Senna e recebeu, de um torcedor, uma bandeira do Brasil, com a qual deu uma volta após o término do GP. 

Aos habilitadores de tecnologias, não é possível adiantar as respostas sobre o futuro do piloto. Todavia, é possível, sim, garantir aos amantes da Fórmula 1 que a infraestrutura da Sala de Imprensa e da Sala de Fotos contaram com Rede Wi-Fi de ponta, possibilitando uma comunicação ágil dos jornalistas que cobriram o evento. Outras áreas especiais do autódromo, como Sky Suite, Silver Club, Grand Prix Club, Interlagos Suítes, F1 Paddock Club, Terrace Club e SP Lounge, também tiveram esse acesso, de modo que os próprios acompanhantes do torneio puderam gerar e acessar dados em tempo real e alta qualidade.

.



Matérias relacionadas

drex liquidez Inovação

Drex: mais liquidez com uso de ativos

Clarissa de Souza, a responsável pela arquitetura que suportará a nova moeda digital, explica a sua funcionalidade e segurança

inclusao mulheres Inovação

Inclusão das mulheres na liderança também chega ao setor financeiro

Para Marisa Reghini, características femininas como colaboração e visão holística têm muito a contribuir para a evolução do setor como um todo

tendencias digitais Inovação

Sete tendências digitais para a década, segundo Sandy Carter

Executiva da Unstoppable Domains é especialista em web 3.0 e apontou caminhos na recente SXSW

bancos preparacao quantica Inovação

Bancos, indústrias e pesquisadores trabalham na preparação quântica

Tecnologia ainda depende de respostas da ciência básica, mas empresas já buscam antecipar as oportunidades e desafios com computação e comunicação baseadas nas propriedades de partículas elementares