logistica 4.0

Veículos autônomos, Big Data e IA estão no cerne da logística 4.0, segundo DHL

2 minutos de leitura

DHL Trend Radar 2022 identifica tendências tecnológicas para o setor de logística, inclusive Big Data e IA



Por Redação em 22/12/2022

Apontada como uma das grandes empresas de logística do mundo, a DHL tem destacado as tecnologias que devem ser acompanhadas com atenção pelo setor. A mais recente edição do seu Trend Radar, de 2022 indica que temas como automação e Internet das Coisas (IoT) continuam em voga, mas há outros pontos que ganham relevância, entre eles os carros autônomos, o Big Data e a Inteligência Artificial (AI).

A DHL divulga seu relatório de tendências a cada dois anos e o mais recente aponta ainda que a descarbonização, a circularidade (reciclagem e reutilização de materiais) e as soluções de energia alternativa estão no topo da lista, à medida que as empresas continuam a reorientar-se para emissões líquidas zero. O relatório observa que dos US$ 755 bilhões investidos na transição energética em 2021, 36% foram investidos em transporte elétrico.

Enquanto isso, os desenvolvimentos em automação se concentraram principalmente em robôs internos, móveis e estacionários, ajudando a melhorar a eficiência do processamento em armazéns e hubs. Mas a atenção aos veículos autônomos externos também está crescendo.

Big data e IA na logística 4.0

logistica 4.0

As empresas de logística também têm recorrido ao Big Data e à IA para ganharem agilidade e se tornarem mais responsivas para o preenchimento de lacunas na cadeia de suprimentos, continuando a tendência anterior de maior transparência e interconectividade, por meio do IoT.

Os marketplaces digitais e a logística omnichannel (integração de compras físicas e online) continuam sendo tendências de “alto impacto”, assim como blockchains e edge computing, o que implica processar dados mais próximos de sua origem no mundo real (“descentralizando-os”) para reduzir o esforço de transferir grandes quantidades de dados na rede global.

“Os eventos dos últimos dois anos nos mostraram a importância de ter cadeias de suprimentos e logística robustas. Portanto, estamos vendo as empresas transformarem a logística de uma operação silenciosa e de back-end em um ativo estratégico e gerador de valor”, diz Katja Busch, diretora comercial da DHL e chefe de soluções e inovação para clientes da DHL.



Matérias relacionadas

drex liquidez Inovação

Drex: mais liquidez com uso de ativos

Clarissa de Souza, a responsável pela arquitetura que suportará a nova moeda digital, explica a sua funcionalidade e segurança

inclusao mulheres Inovação

Inclusão das mulheres na liderança também chega ao setor financeiro

Para Marisa Reghini, características femininas como colaboração e visão holística têm muito a contribuir para a evolução do setor como um todo

tendencias digitais Inovação

Sete tendências digitais para a década, segundo Sandy Carter

Executiva da Unstoppable Domains é especialista em web 3.0 e apontou caminhos na recente SXSW

bancos preparacao quantica Inovação

Bancos, indústrias e pesquisadores trabalham na preparação quântica

Tecnologia ainda depende de respostas da ciência básica, mas empresas já buscam antecipar as oportunidades e desafios com computação e comunicação baseadas nas propriedades de partículas elementares