Viena avança como cidade inteligente com plataforma de dados urbanos em código aberto

2 minutos de leitura

A capital da Áustria, Viena, avança como cidade inteligente com gestão de dados em código aberto para mobilidade, saneamento e energia



Por Redação em 13/07/2022

Em uma forma de permitir projetos de cidade inteligente, Viena, capital da Áustria, implementou uma plataforma de dados urbanos em código aberto. Ao portal SmartCitiesWorld, representantes do departamento municipal de TI e da Agência de Negócios de Viena explicaram que a iniciativa faz parte do projeto chamado Smarter Together, que se concentrou no compartilhamento de carros, na reforma de apartamentos e no aumento da participação dos cidadãos.

Com liderança da cidade de Lyon (França) e com a participação de Munique (Alemanha), foi pedido que cada cidade construísse a sua própria plataforma de dados. A escolha foi pela plataforma Fiware, de código aberto e já adotada nas iniciativas digitais de Viena há 30 anos. A explicação é que o código aberto permite um trabalho em conjunto com cidades e empresas de toda a Europa, diminuindo a necessidade de implementar novas formas de integração de plataformas com outros ambientes. Há também o benefício de trabalhar com diferentes fornecedores de soluções.
O uso da plataforma aberta permitiu capturar dados de outros parceiros e dos sensores usados como parte do projeto Smarter Together. Combinando essas duas fontes de dados com um “mapa”, foi possível criar uma visão da cidade que permite aos gestores clicar em vários pontos para ver o consumo e o uso de determinados ativos. Em um projeto de reforma de prédio, por exemplo, foi possível avaliar métricas de consumo de energia e água.

Futuro de Viena como cidade inteligente

Além do Smarter Together, a prefeitura pretende continuar usando a plataforma aberta para outros projetos que transformam Viena em cidade inteligente. Nesse sentido, já são coletados dados em tempo real do sistema de compartilhamento de bicicletas da cidade, juntamente com diferentes conjuntos de dados relacionados ao meio ambiente. A ideia é reunir esses dados e exibi-los juntos em um mapa para os cidadãos, que saberão rapidamente onde há bicicletas disponíveis.

Também há a intenção de usar mais dados de Internet das Coisas (IoT) e quase em tempo real na plataforma, por meio de protótipos que já estão sendo produzidos pelo departamento ambiental em várias frentes, como nos sensores que monitoram a qualidade da água dos reservatórios de Viena.



Matérias relacionadas

cidades inteligentes Inovação

Tecnologia habilita cidades inteligentes

A tecnologia permite que os municípios entendam as demandas dos cidadãos, invistam em segurança pública, melhorem o trânsito, entre outros quesitos das cidades inteligentes

usina de Ouro Branco Inovação

Parceria com Embratel habilita indústria 4.0 na Gerdau

Com tecnologia da Embratel, a Gerdau vai implantar uma rede privativa dedicada 5G e LTE 4G em uma de suas fábricas, viabilizando os conceitos da indústria 4.0

Inovação

Desenvolvimento de IA dá lugar a BPO em planejamento de CFOs, aponta Gartner

Departamentos financeiros vão investir em outsourcing para implementar inteligência artificial em seus negócios em busca de mais sucesso nos projetos

Inovação

Metaverso exigirá mais cuidado com proteção de dados

O uso de um óculos de realidade aumentada por cerca de 20 minutos pode levar à captação de 20 milhões de dados de reações, biometria e comportamento