Web Summit
tendencias web summit Ceo Web Summit Artur Pereira

Web Summit antecipa tendências mundiais de tecnologia

3 minutos de leitura

Artur Pereira, Country Manager do Web Summit Rio, em entrevista exclusiva, contou detalhes sobre a edição que inicia dia 1° de maio.



Por Redação em 24/04/2023

O Brasil vai receber um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do planeta entre 1 e 4 de maio, no Rio de Janeiro, e o Country Manager do Web Summit Rio 2023 (WSR2023), Artur Pereira, conta nesta entrevista o que podemos esperar a respeito. Temas como inteligência artificial, blockchain, cibersegurança, machine learning, dados, cloud e criptoativos serão discutidos por referências do setor de tecnologia, que anteciparão as tendências e contarão com um ambiente também vistoso, como mostram os dados da organização:

  • + 20 mil pessoas é o público estimado
  • + 100 diferentes países de origem
  • + 900 startups participantes
  • + 500 investidores
  • + 500 jornalistas
  • + 300 palestrantes
  • + 125 patrocinadores
  • 14 palcos temáticos rotativos

As negociações para que o Brasil sediasse o evento iniciaram em Lisboa, há cerca de dois anos e, de acordo com o Artur Pereira, México, Equador, Peru e Colômbia também estavam na disputa para receber a primeira edição do Web Summit na América Latina. “Identificado o enorme potencial brasileiro, elencamos cinco cidades: Porto Alegre, Florianópolis, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro”, contou. 

A comitiva visitou cada uma delas para ter a própria percepção do ecossistema de inovação e tecnologia. “Quando planejamos uma edição do Web Summit, projetamos imediatamente os impactos no planeta para 10, 15 ou 20 anos. A partir disso, definimos temas e identificamos os nomes mais competentes para falar sobre o assunto”, explicou. 

O que esperar do Web Summit Rio 2023?

Reprodução: Flickr Web Summit

Quando perguntamos para Artur Pereira sobre o que esperar desta edição do Web Summit Rio, ele não hesitou em dizer: “uma enxurrada de informações”. “Nós acompanhamos tudo o que está acontecendo e o que vai acontecer. Assim, tentamos antecipar os termos que já devem ser falados, aqueles que vão impactar a sociedade e o planeta para os próximos anos. Poucas pessoas querem saber o que está acontecendo neste momento, mas o interesse delas por aquilo que virá é muito grande”, contou. 

Para ele, criptomoedas, blockchain, inteligência artificial, nuvem e dados, apesar de já dominados, antecipam como a tecnologia vai impactar o bem estar da sociedade nos próximos anos. E então entram em cena também as cidades inteligentes, “onde a tecnologia desempenha, claramente, um papel fundamental”, afirmou.

Alguns especialistas, como Bruce Schneier, têm alertado que a inteligência artificial é o próximo nível da cibersegurança e, também segundo o country manager da WSR2023, essa será mesmo uma das principais discussões no evento deste ano. “Nós temos alguns temas que são fundamentais. Há um tema especial que é inteligência artificial. E teremos grandes nomes discutindo esse assunto. É isso o que faz do Web Summit um evento tão importante”. 

As palestras sobre cibersegurança também devem ser bastante acessadas, segundo Artur Pereira, que destacou a participação de Meredith Whittaker, presidente da Signal, e de Chelsea Manning, consultora de segurança da Nym. “Cibersegurança nunca deixa de ser um tema interessante. É um tema que sempre está em alta e vale a pena acompanhar as palestras”.

Sobre os impactos, o Web Summit tem como premissa a sustentabilidade e a responsabilidade social e econômica. Por isso, desenvolve uma série de práticas e ações em prol da comunidade e do planeta. Dessa forma, de acordo com Artur Pereira, no Rio não será utilizado plástico durante o evento. “Outro ponto importante é que fomentamos a participação dos estudantes. Temos uma parceria com algumas instituições de ensino e o Instituto Reação, liderado pelo judoca Flávio Canto. Oferecemos ingressos a custo mais acessível e em alguns casos, gratuitos, para impulsionar essas oportunidades”.

A Tecnologia e o futuro

Contudo, “não tem como falar de bem estar das pessoas sem falar em tecnologia e cidades inteligentes”, pontuou Artur Pereira. Segundo ele, “não existe smart city sem tecnologia, e consequentemente, tudo está interligado: inovação, tecnologia de ponta, inteligência artificial, dados qualificados e cloud computing”. 

Na programação, ele destaca a apresentação da portuguesa especialista em dados de alta qualidade para alimentar modelos de inteligência artificial, Daniela Braga, CEO e Founder da Defined.ai. 

A digitalização de serviços e negócios também acelerou a gestão e a ciência de dados. A apresentação do brasileiro Bruno Guicardi, co-fundador da CI&T, especializada em transformação digital para empresas, também está entre os indicados de Artur Pereira, assim como a palestra de abertura, com David Vélez, fundador da Nubank. 

“Minha principal dica é: programe-se ainda no pré-evento. Selecione todas as palestras das quais quer participar. Muita coisa acontecerá ao mesmo tempo no Web Summit Rio, então essa organização é essencial para não perder nada”, disse. 

Você pode conferir a programação completa do Web Summit Rio aqui.

Cobertura especial

O Próximo Nível é parceiro de mídia do Web Summit Rio 2023 e realiza uma cobertura especial pré, durante e após o evento. Acompanhe as novidades diariamente aqui.



Matérias relacionadas

drex liquidez Inovação

Drex: mais liquidez com uso de ativos

Clarissa de Souza, a responsável pela arquitetura que suportará a nova moeda digital, explica a sua funcionalidade e segurança

inclusao mulheres Inovação

Inclusão das mulheres na liderança também chega ao setor financeiro

Para Marisa Reghini, características femininas como colaboração e visão holística têm muito a contribuir para a evolução do setor como um todo

tendencias digitais Inovação

Sete tendências digitais para a década, segundo Sandy Carter

Executiva da Unstoppable Domains é especialista em web 3.0 e apontou caminhos na recente SXSW

bancos preparacao quantica Inovação

Bancos, indústrias e pesquisadores trabalham na preparação quântica

Tecnologia ainda depende de respostas da ciência básica, mas empresas já buscam antecipar as oportunidades e desafios com computação e comunicação baseadas nas propriedades de partículas elementares