Atendimento ao cliente em nova era

2 minutos de leitura

Como blocos de lego, soluções de Inteligência Artificial se encaixam para resolver problemas.



Por Redação em 19/11/2018

Vivemos a era do cliente. É o que aponta o relatório The Age of Customer Empowerment, promovido pela IBM nos EUA. Os números indicam que metade dos consumidores B2C deixa de comprar após passar por uma má experiência de atendimento. Para 73%, valorizar o seu tempo é a coisa mais importante que uma marca pode fazer por elas. Nesse sentido, as empresas precisam estar prontas para dar respostas 24 horas, 365 dias do ano. Graças ao avanço tecnológico, especialmente da Inteligência Artificial, isso é cada vez mais possível.

Hoje, os assistentes virtuais, em grande parte caracterizados por chatbots, têm nome, personalidade e conversam com pessoas de forma natural. A grande sacada por trás de tudo isso está na enorme capacidade que essas aplicações têm de analisar dados e oferecer soluções ultrarrápidas a partir do aprendizado gerado pela interação com o próprio cliente.

Com as ferramentas tecnológicas postas, os limites começam a ser testados em uma capacidade essencialmente humana, a criatividade. As possibilidades vão muito além do contato telefônico ou pela web. Durante uma exposição interativa na Pinacoteca do Estado de São Paulo, em 2017, visitantes puderam tirar dúvidas sobre obras de arte simplesmente falando com elas, com o auxílio do Watson, a plataforma de serviços cognitivos da IBM.

A Gartner prevê que 85% dos atendimentos em 2020 não serão feitos por humanos e que ninguém perceberá a diferença. Para Mário Rachid, diretor executivo de Soluções Digitais da Embratel, todos colherão benefícios nesse novo cenário. “O cliente ganha em rapidez e assertividade, os funcionários são poupados do trabalho repetitivo, passando a responder às necessidades mais complexas, e as empresas reduzem custos com call center, ao mesmo tempo que oferecem um serviço melhor e preservam seu histórico de aprendizado, tendo em vista que o turnover da área é elevado.”

No Brasil, a Embratel acaba de anunciar uma parceria inédita com a própria IBM para ampliar a oferta de soluções digitais ao mercado corporativo brasileiro. Aliando inovação tecnológica, conectividade e mobilidade, esta parceria alcançará milhares de empresas em todo o território nacional com modelos flexíveis de consumo por meio da Cloud.

A primeira fase desta parceria fornece, de forma integrada, soluções cognitivas com IBM Watson, serviços gerenciados de segurança com solução IBM® QRadar Security Information and Event Management (SIEM), soluções em IBM Cloud e serviços de nuvem híbrida e automação.

“São várias as possibilidades. Como se fossem blocos de lego, vamos identificando as soluções que mais se encaixam na resolução dos problemas e necessidades do cliente”, conclui Rachid.

Publicado em: Valor Econômico - 25/10/2018


Matérias relacionadas

redes privativas 5g Conectividade

Como a rede privativa 5G habilita a digitalização do Porto Suape

Primeiro episódio da temporada 2024 da websérie da Embratel, com Silvio Meira, mostra a importância das redes privativas 5G para a evolução dos negócios

api Conectividade

Open Gateway: operadoras vão implementar a API de verificação de número telefônico

Durante o MobiXD, realizado em São Paulo em maio, as operadoras Claro, TIM e Vivo explicaram que a verificação começará pelos aplicativos móveis

conectividade rural Conectividade

Projeto de lei propõe política nacional de conectividade rural

PL 1069/2024 prevê o uso de recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicação (Fust) na implementação das ações

conectividade aeroportuaria Conectividade

Agências federais se alinham para a conectividade aeroportuária

Especialistas da ANTT e Anatel se reúnem para definir pauta comum da conexão em portos e aeroportos