Open banking e tecnologia viabilizam novos modelos de negócio

< 1 minuto de leitura

Com o open banking, organizações de diferentes segmentos podem oferecer serviços de meios de pagamento e crédito; investimentos em tecnologia serão o diferencial



Por Redação em 07/03/2022

O open banking permite que os consumidores compartilhem seus dados bancários entre instituições, sejam elas bancos ou não. Isso abre uma série de oportunidades para organizações dos mais distintos segmentos que ofereçam soluções de crédito, financiamento, meios de pagamento e outros serviços financeiros. 

Nesse contexto também se inserem as fintechs, empresas que se destacam das instituições financeiras tradicionais justamente pela inovação e o alto investimento em tecnologia. “O setor bancário, há décadas, é um dos líderes da inovação tecnológica no Brasil. Assim, quem chega agora vai encontrar um consumidor exigente. Por isso, as novas soluções precisam oferecer eficiência e usabilidade iguais ou melhores que as dos bancos”, afirmou o diretor-executivo da Embratel, Antonio João Filho, destacando a importância destas empresas prepararem sua infraestrutura de TI para isso. 

Segundo o executivo, os desafios do segmento são investir em ferramentas de telecom, cloud, omnichannel e segurança. “A Embratel tem essas soluções personalizadas, para cada negócio neste segmento”, disse ele ao Valor.

Open banking aumenta preocupação com a proteção de dados

Apesar da possibilidade de os clientes compartilharem seus dados a partir do open banking, a proteção da privacidade, especialmente no caso de informações sensíveis, é essencial. 

As sanções previstas na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) podem chegar a multas de até 2% do faturamento bruto da empresa. Além disso, um vazamento de dados compromete a imagem corporativa e a reputação perante os clientes. Por isso é fundamental que as empresas invistam em tecnologia robusta de segurança, além de serviços específicos, como os oferecidos pela área de Data Analytics da Embratel, os quais contribuem para definição de scores (essenciais para serviços de crédito) ou para alertas de supostas fraudes.



Matérias relacionadas

drex liquidez Inovação

Drex: mais liquidez com uso de ativos

Clarissa de Souza, a responsável pela arquitetura que suportará a nova moeda digital, explica a sua funcionalidade e segurança

inclusao mulheres Inovação

Inclusão das mulheres na liderança também chega ao setor financeiro

Para Marisa Reghini, características femininas como colaboração e visão holística têm muito a contribuir para a evolução do setor como um todo

tendencias digitais Inovação

Sete tendências digitais para a década, segundo Sandy Carter

Executiva da Unstoppable Domains é especialista em web 3.0 e apontou caminhos na recente SXSW

bancos preparacao quantica Inovação

Bancos, indústrias e pesquisadores trabalham na preparação quântica

Tecnologia ainda depende de respostas da ciência básica, mas empresas já buscam antecipar as oportunidades e desafios com computação e comunicação baseadas nas propriedades de partículas elementares