5g porto

Porto do Reino Unido adota rede privativa 5G

2 minutos de leitura

Tecnologia está sendo usada em conjunto com rede 4G LTE e seria a primeira rede inteligente 5G portuária do Reino Unido



Por Redação em 25/04/2024

Localizado no sudeste da Inglaterra, o Porto de Tyne implantou uma rede privada 4G LTE e 5G em seu terminal de carga. Segundo o site RCR Wireless, trata-se da primeira implantação de rede privada para aplicação em portos inteligentes no Reino Unido. A rede central dupla 4G/5G adota tecnologia Ericsson, com uma infraestrutura de rede acesso rápido (RAN) local. 

Operacionalmente, as redes gêmeas LTE e 5G devem suportar os dispositivos atuais de telecomunicações e TI, agregando novas aplicações, como é o caso de IoT industrial. A administração portuária vai gerenciar a infraestrutura, com suporte disponibilizado por uma operadora do Reino Unido.

Primeira aplicações

As primeiras aplicações que serão conectadas à rede incluem dispositivos de vídeo e sensores sendo instalados em cada portão do local, para utilizar o reconhecimento automático de matrículas (ANPR), o que permitirá gerenciar e rastrear veículos no local. 

Além disso, uma série de câmeras de visão mecânica, executando software de IA de ponta e conectadas à rede 5G, fornecerão uma visão de 360 ​​graus no cais e realizarão verificações automatizadas de contêineres.

Já as aplicações futuras incluirão veículos autônomos e tecnologia de navegação, permitindo a movimentação de cargas e equipamentos no porto, além de operações remotas de guindastes. O uso de drones de pesquisa em terra e no mar vai agregar novos recursos para inspecionar, de forma autônoma, guindastes, cais, boias e outras infraestruturas. A nova rede viabiliza ainda a adoção de tecnologia vestível para profissionais do porto e a utilização de realidade aumentada e virtual (AR/VR) em  treinamentos imersivos e manutenção remota.

As novas redes sem fio também resolveram o desafio de ativar uma infraestrutura fixa em fibra óptica no porto. A nova malha 4G/5G dispensou a necessidade de abertura de valas em concreto para colocar e retransmitir cabos de fibra subterrâneos. De acordo com a Ericsson, os métodos de cabeamento físico são caros e inflexíveis, além de inviáveis ​​para a instalação portuária que reconfigura seu local físico várias vezes por ano.



Matérias relacionadas

telemedicina Conectividade

Conectividade: telemedicina leva atendimento hospitalar para comunidades distantes

Parceria agiliza atendimentos e a comunicação na área da saúde usando redes 5G

internet países insulares Conectividade

Uso de internet em pequenos países insulares é maior que média mundial  

Documento do ITU analisa digitalização em países que ocupam pequenas ilhas e mostra desafios

lei de antenas Conectividade

Lei das Antenas está atualizada em 51,4% das cidades paulistas 

Números do InvestSP indicam que 332 municípios atualizaram legislação que permite avanço do 5G e de outros recursos

redes privativas 5g e redes privativas virtuais Conectividade

No próximo nível, quais serão os novos horizontes com Edge Computing, Redes Privativas 5G e Redes Privativas Virtuais?

Cristiano Moreira, da Embratel, e Lucas Godoy, da Ericsson, discutiram os custos associados à cloud e os benefícios de redes privativas para os usuários