Web Summit
saas

SaaS: o que é a sigla que será tema no Web Summit Rio 2023

3 minutos de leitura

Conheça a tecnologia que permite que as empresas usem softwares de forma flexível, escalável e econômica.



Por Redação em 12/04/2023

Soluções de serviços gerenciados, como as de softwares como serviços (SaaS), devem ser adotadas por 93% das companhias brasileiras em 2023. Os dados são da edição mais recente do IDC Predictions Brazil, com destalhes de que IaaS (Infrastructure as a Service) e PaaS (Platform as a Service) somarão negócios na casa dos US$ 4,5 bilhões no Brasil (crescendo 41%).

Sim, o SaaS está na “crista da onda” e por isso será um dos temas-chave do Web Summit Rio 2023, evento que acontece no início de maio com a cobertura ampla e parceria de mídia do Próximo Nível.

Mas, afinal, o que é SaaS?

saas

O software as a service (SaaS) – como o nome sugere – consiste na disponibilização de um sistema (software) para uso sob demanda. Em outras palavras, é um sistema que fica hospedado em nuvem e pode ser acessado, via conexão com a internet, de qualquer lugar, desde que se obedeçam os parâmetros de segurança e privacidade de dados estabelecidos para esse acesso. As vantagens do SaaS são diversas, começando pelo acesso remoto e indo até a flexibilidade, que permite que empresas e negócios escalem o seu uso conforme demandem.

O SaaS também elimina preocupação com infraestrutura e manutenção da ferramenta, deixando tudo isso por conta do fornecedor da tecnologia. Ou seja: as empresas que optam pelo uso de SaaS se tornam mais eficientes, escaláveis e competitivas em seus mercados.

Apesar de algumas pessoas ainda não apresentarem familiaridade com o termo, o SaaS é muito mais presente na nossa vida do que se imagina. Negócios como Google, Netflix e Dropbox são bons exemplos disso.

Histórico do SaaS

Há pouco mais de uma década, a maioria dos gestores reclamavam da quantidade de softwares necessários para manter operações digitais. Isso sem contar o alto custo com as licenças de uso. Apesar de já existirem, as soluções gerenciadas em nuvem, como o SaaS – que visava justamente reduzir esses problemas – enfrentavam o fantasma da dúvida sobre segurança/insegurança de dados. Hoje, a questão é ultrapassada, sendo que os serviços em nuvem são mais confiáveis do que os on-premise. 

Uma pesquisa da PwC avaliou que os avanços de segurança e privacidade na nuvem, como o SASE (Secure Access Service Edge), já são enxergados e bem avaliados pelos especialistas de tecnologia. 

Segurança na nuvem e para SaaS

saas

Segundo o levantamento, realizado em 2021, 51% dos gerentes de TI disseram que a segurança de dados é melhor na nuvem do que em seus ambientes on-premise. Para 58%, a nuvem pública é mais segura, flexível e econômica para as suas organizações, enquanto 76% estão migrando a segurança para serviços em nuvem.

O movimento é consistente e vem evoluindo ano após ano. Desde 2017, quando a SaaSholic divulgou a primeira pesquisa sobre o mercado brasileiro de SaaS, pelo menos 92% das companhias nacionais já adotavam, no mínimo, uma solução em nuvem.

Luciano Ramos, country manager da IDC, afirmou recentemente ao Mobile Time que a maioria dos investimentos em software no Brasil serão em sistemas de SaaS em 2023. Para ele, a participação efetiva da TI e cloud dentro dos negócios é um caminho sem volta. Outro fato apontado está relacionado à inteligência artificial e à automação, que devem colaborar para a racionalização dos custos em nuvem. 

SaaS: benefícios paras as empresas

As organizações que visam crescimento e escalabilidade podem se beneficiar do uso de SaaS de várias maneiras, como:

  • otimização de custos com TI;
  • acesso global;
  • escalabilidade; 
  • melhor colaboração;
  • automatização de atualizações.

Com o SaaS, as empresas não precisam mais destinar parte do orçamento para  uma criar e manter uma infraestrutura de TI cara e complexa, pois o fornecedor assume os custos de manutenção e atualização do software.

Globalmente, quando conectado à internet, os softwares podem ser acessados de qualquer lugar e a qualquer momento. Isto viabiliza a estratégia das empresas que têm equipes remotas. O SaaS é flexível e as empresas têm opção de fazer ajustes relacionados à capacidade de uso do software, com base em suas necessidades. 

O uso de SaaS permite compartilhar dados e promover atualizações em tempo real, o que, para equipes colaborativas ou de projetos em conjunto, é importante. 

Por fim, as empresas podem contar com o benefício da atualização automática de softwares. Essa deixa de ser uma preocupação da empresa e passa a ser exclusivamente do fornecedor, uma vez que ele é o responsável pela atualização constante da ferramenta. Dessa forma, a empresa sempre terá a versão mais recente do software.

Programe-se para o Web Summit Rio 2023

O SaaS será um dos temas centrais do Web Summit Rio 2023, que acontece de 01 a 04 de maio, na cidade do Rio de Janeiro. Você pode acompanhar uma cobertura completa aqui, no Próximo Nível.



Matérias relacionadas

drex liquidez Inovação

Drex: mais liquidez com uso de ativos

Clarissa de Souza, a responsável pela arquitetura que suportará a nova moeda digital, explica a sua funcionalidade e segurança

inclusao mulheres Inovação

Inclusão das mulheres na liderança também chega ao setor financeiro

Para Marisa Reghini, características femininas como colaboração e visão holística têm muito a contribuir para a evolução do setor como um todo

tendencias digitais Inovação

Sete tendências digitais para a década, segundo Sandy Carter

Executiva da Unstoppable Domains é especialista em web 3.0 e apontou caminhos na recente SXSW

bancos preparacao quantica Inovação

Bancos, indústrias e pesquisadores trabalham na preparação quântica

Tecnologia ainda depende de respostas da ciência básica, mas empresas já buscam antecipar as oportunidades e desafios com computação e comunicação baseadas nas propriedades de partículas elementares