CIAB 2019 Venda de seguros por canais digitais é mar aberto para investimento de bancos

CIAB 2019: Venda de seguros por canais digitais é mar aberto para investimento de bancos

2 minutos de leitura

Pesquisa da FEBRABAN aponta a consolidação do mobile banking no Brasil e destaca as oportunidades de negócio no segmento de seguros.



Por Redação em 12/06/2019


Principais destaques:
– Mobile banking se consolida no Brasil, aponta pesquisa da FEBRABAN;
– Número de contas abertas passou de 1,6 milhão em 2017 para 2,5 milhões em 2018;
– Transações com movimentação financeira cresceram 80% entre 2017 e 2018;
– Estudo mostra que há espaço para mercado financeiro investir na venda de seguros por canais digitais.

O mobile banking cresce ano a ano, mas foi em 2018 que ele definitivamente se consolidou. De acordo com a “Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária 2019”, divulgada no primeiro dia do CIAB FEBRABAN 2019, pela primeira vez as contas bancárias operadas por smartphones ultrapassaram as administradas pela internet — o número de contas abertas pelo celular foi de 1,6 milhão em 2017 para 2,5 milhões em 2018. O estudo mostra também que o mercado financeiro encontra espaço livre para investir na venda de seguros por canais digitais.

De acordo com Gustavo Fosse, diretor de tecnologia e automação bancária da Febraban, tanto a aquisição de crédito quanto de investimento cresceu nas transações feitas por celular, mas ainda há espaço para expansão em usabilidade. O número de transações com movimentação financeira (como DOC e TED) via mobile, por exemplo, cresceu cerca de 80% de 2017 para 2018. “A escolha entre o smartphone e a internet é uma questão de perfil. É unânime, por sua vez, que as transações estão saindo da agência e indo para o meio digital”, afirma.

A venda de seguros, contudo, ainda é uma exceção, contrapõe o executivo. A pesquisa da Febraban aponta que apenas 4% das contratações foram realizadas por canais digitais, seja por smartphone ou pela internet. “Os brasileiros ainda têm receio para adotar a tecnologia na contratação de apólices. Por este motivo, o segmento é um mar aberto para investimentos”, garante ele.

A comunicação de bancos e financeiras por canais digitais registraram crescimento maior que o próprio mobile banking: as interações por chatbot (robôs) cresceram 2.585% de 2017 para 2018 e 364%, no mesmo período, por web-chats com um funcionário.

“O mobile continua forte e vai evoluir, porém será guiado cada vez mais pela inteligência artificial. Os clientes brasileiros são ávidos por tecnologia”, avalia o diretor da federação.

PRÓXIMO NÍVEL NO CIAB FEBRABAN 2019

O Próximo Nível está com uma cobertura especial nas palestras do CIAB FEBRABAN 2019. Clique nas matérias abaixo e saiba mais sobre o que foi debatido no maior congresso de tecnologia de informação para o setor financeiro.

>> CIAB 2019: setor bancário deve focar na experiência do consumidor para inovar
>> CIAB 2019: Bancos e financeiras apostam em IA e certificação para proteger dados
>> CIAB 2019: LGPD vem para transformar desafios em oportunidades, aponta Cindy Compert, da IBM
>> CIAB 2019: 5 motivos para empresas apostarem no 5G
>> CIAB 2019: Primeira rede blockchain do setor financeiro nacional é anunciada
>> CIAB 2019: A Inteligência Artificial como parceira da segurança de dados



Matérias relacionadas

cidades inteligentes Inovação

Tecnologia habilita cidades inteligentes

A tecnologia permite que os municípios entendam as demandas dos cidadãos, invistam em segurança pública, melhorem o trânsito, entre outros quesitos das cidades inteligentes

usina de Ouro Branco Inovação

Parceria com Embratel habilita indústria 4.0 na Gerdau

Com tecnologia da Embratel, a Gerdau vai implantar uma rede privativa dedicada 5G e LTE 4G em uma de suas fábricas, viabilizando os conceitos da indústria 4.0

Inovação

Desenvolvimento de IA dá lugar a BPO em planejamento de CFOs, aponta Gartner

Departamentos financeiros vão investir em outsourcing para implementar inteligência artificial em seus negócios em busca de mais sucesso nos projetos

Inovação

Metaverso exigirá mais cuidado com proteção de dados

O uso de um óculos de realidade aumentada por cerca de 20 minutos pode levar à captação de 20 milhões de dados de reações, biometria e comportamento