industria figital

“Figital” é o próximo nível da indústria

2 minutos de leitura

No segundo episódio da websérie “Vamos habilitar o próximo nível?”, Silvio Meira destaca que a indústria 4.0 é figital, unindo o físico e o digital por meio da maior conectividade



Por Redação em 13/01/2023

Parceria Editorial

Equipamentos conectados, gêmeos digitais, robótica e aprendizado de máquina são alguns dos elementos que fazem parte da chamada indústria 4.0, uma verdadeira revolução industrial, que proporciona maior produtividade e segurança, transformando os negócios. Na visão de Silvio Meira, cientista chefe da TDS Company, o próximo nível dessa evolução é a indústria “figital”, conceito que une o físico ao digital.

industria figital

“A indústria figital existe em um cenário onde a conectividade 5G, que está por trás da Internet das coisas (IoT), muda muito mais do que a velocidade da rede ao nosso redor”, disse ele, no segundo episódio da websérie produzida pela parceria da Embratel com o jornal Valor Econômico. 

“Em 5G, é possível conectar um milhão de objetos por quilômetro quadrado; cada uma dessas coisas é identificável, endereçável, programável, tem memória, sensores e atuadores, pode ser rastreável e estabelecer conexões, relacionamentos e interações”, completou Meira.

O que o 5G tem a ver com o futuro da indústria?

O questionamento é feito por Silvio Meira logo no início do episódio, que procura trazer respostas sobre de que forma a indústria vai usar robôs colaborativos, o que é a indústria conectada e quais os próximos passos do setor. Como em outros conteúdos da série, as visões de futuro do mercado são apresentadas por especialistas das empresas que estão liderando as transformações. 

industria figital

“Enquanto a indústria 3.0 trazia a ideia de automatização, a versão 4.0 traz o conceito de autonomia”, destacou Cristiano Moreira, gerente de Produtos da Embratel. “É uma nova era, na qual máquinas conversam com máquinas, tudo tem uma logística coordenada para aumentar a produtividade, reduzir os riscos de acidentes e, obviamente, aumentar os ganhos”.

“Para habilitar tudo isso, o 5G tem papel fundamental, é a camada que conecta”, explicou Bruno Stefani, diretor Global de Inovação da Ambev, mencionando um futuro de operações com o mínimo de atrito, no qual a produção, os armazéns e o sistema de distribuição operam de forma integrada.

Da mesma forma, na Gerdau, o digital se tornou parte do negócio. “Digital deixou de ser algo isolado. Então, a tecnologia é uma das capacidades que nós utilizamos para desbloquear oportunidades estratégicas de negócio”, afirmou Gustavo França, CDO/CIO da empresa. Na planta de Ouro Branco (MG) da gigante da siderurgia, a parceria com a Embratel resultou em uma rede de conectividade privativa que cobre uma área de 8,2 milhões de metros quadrados. 

Pequenas e médias indústrias precisam evoluir

A conexão máquina-máquina não é coisa de ficção científica. “O poder computacional ligado ao IoT e a à camada de blockchain são os principais pilares do avanço tecnológico”, pontuou Luiz Felipe Kazan, Gerente de Desenvolvimento de Negócios em Indústria 4.0 da Embratel, lembrando que a digitalização tem que vir antes da conectividade. Segundo ele, as pequenas e médias indústrias ainda estão atrasadas no processo de robotização.

“Existe um conceito do 5G, o network slicing, que possibilita, a uma pequena ou média planta industrial, fazer uma fatia privativa de toda a infraestrutura da operadora, em uma determinada área de cobertura”, disse Moreira. “Então, isso viabiliza as mudanças não apenas para as grandes indústrias, mas para todas”. A rede privativa da Gerdau, aliás, é um exemplo disso. 

A websérie, que está na segunda temporada, terá mais três episódios, abordando os temas Varejo, Saúde e Cidades Inteligentes. Neles, os debates envolverão, respectivamente, tecnologias como big data e analytics, e seu papel para a promoção de análises clínicas e diagnósticos mais eficientes, a integração das lojas físicas e online e soluções digitais capazes de tornar os serviços públicos mais eficientes.


E-book gratuito: saiba como implementar uma cultura de cibersegurança na sua empresa

Saiba mais


Matérias relacionadas

fraudes bancarias Estratégia

Tentativas de fraudes bancárias evitadas chegam a R$ 766 milhões no Brasil

Aumento do ticket médio é o que mais assusta em levantamento da ClearSale

hiperpersonalizacao fidelidade Estratégia

A hiperpersonalização é o próximo nível no mercado de fidelidade

Para Fernanda Barchese, da Livelo, a hiperpersonalização permitirá o acompanhamento da jornada do cliente e as escolhas das melhores recompensas

instituicoes Estratégia

Inteligência artificial eleva o poder das instituições  

Para Tania Cosentino, da Microsoft, em pouco tempo não viveremos mais sem a inteligência artificial

Estratégia

Especialista defende ‘Cloud First’ diante da digitalização dos negócios

Segundo episódio da terceira temporada da websérie da Embratel, com Silvio Meira, debate o papel da migração das empresas para a nuvem